Geral

Morre, aos 67 anos, o empresário Léo Santiago

Cidadão benemérito de Criciúma, ele será sepultado neste domingo.

Morre aos 67 anos o empresário Léo Santiago

Foto: Divulgação

Morreu, na tarde dessa sexta-feira (10), em Porto Alegre, o empresário Léo Santiago, aos 67 anos. Ele será sepultado neste domingo, às 10h, no Cemitério Municipal de Criciúma. O velório começa às 12h deste sábado.

“Que pena. Criciúma perde uma pessoa do bem”, postou o prefeito Clésio Salvaro (PSDB) em sua rede social. Clésio era amigo pessoal e mantinha negócios com o empresário, a quem homenageou ontem com a seguinte postagem:

“As pessoas são insubstituíveis em sua existência, e quando são especiais, além da falta que fazem àqueles que as amam, deixam o mundo mais triste. Sem o nosso amigo, o mundo perde um pouco do seu brilho, alegria e cor. Não temos palavras para expressar os nossos sentimentos. Pedimos a Deus que conforte o coração dos familiares e amigos neste momento de dor. Que a luz e o amor divino pairem sobre a alma de quem sofre esta imensurável perda e os consolo e lhes dê serenidade para atravessar essa tempestade. A Deus pedimos também que dê ao nosso amigo o merecido repouso eterno em seu reino. Muito respeitosamente, prestamos as nossas condolências e deixamos os nossos mais sinceros pêsames”.

Santiago lutava contra um câncer

Combatendo um câncer, Léo Santiago submeteu-se a um transplante de medula óssea nesta sexta, na Santa Casa de Porto Alegre, sofrendo complicações e não resistindo.

Natural de Criciúma, onde nasceu em 16 de agosto de 1949, Santiago era de origem humilde. Filho do mineiro Armandio Santiago e da ajudante de serviços gerais Margarida de Souza Santiago, foi criado na região da Operária Velha, atual Santa Bárbara, e era o terceiro de sete filhos.

Começou a trabalhar muito cedo para ajudar no orçamento do lar. Com 18 anos, serviu às Forças Armadas em Florianópolis, retornando logo após para Criciúma, onde cursou o segundo grau na Escola Coelho Neto e formou-se técnico em segurança no trabalho. Trabalhou por 20 anos em minas de carvão na região. Ao aposentar-se, com 45 anos, continuou envolvido no ramo, iniciando atividades empresariais com comercialização de rejeito e moinha de carvão.

Em 2015, a Câmara de Vereadores de Criciúma lhe conferiu o título de Cidadão Benemérito. Conforme informações do Portal Engeplus, ele possuía também destacada atuação política nos bastidores, sendo bastante ligado ao prefeito Clésio Salvaro e ao PSDB.

Notícias Relacionadas

Ciclista morre após ser atropelado na SC-285, em Araranguá

Colisão frontal termina em morte em Balneário Rincão

Noite de Natal termina com duas mortes após colisão entre motos, em Grão Pará

Vigário paroquial de Capivari de Baixo, padre Hilário Puziski, morre aos 79 anos