Geral

Morro Grande, uma cidade abalada

O prefeito adoeceu, a economia do município despencou e da maior fonte de renda resta um prédio abandonado.

Foto: Divulgação

O Governo Municipal de Morro Grande, no extremo Sul do Estado, ainda não apurou qual é o tamanho do impacto com o fechamento da unidade frigorífica da JBS na cidade. Desde novembro do ano passado, a menor das três unidades que a empresa tem na região fechou. Imediatamente, foram perdidos mais de 700 empregos. O empreendimento era a maior arrecadadora de impostos.

Nos dias que antecederam os fechamentos, sucederam-se vários movimentos que tentaram reverter a posição do comando nacional da empresa. Nada teve resultado positivo. O frigorífico fechou, o prefeito adoeceu e chegou a licenciar-se do cargo. Valdoir Rocha retornará à Prefeitura na próxima segunda-feira (5), dizendo-se parcialmente recuperado do desgaste emocional e físico, o que lhe afetou a condição clínica.

Na manhã desta quinta-feira, o prefeito concedeu entrevista à Rádio Eldorado, onde que revelou mais do que o impacto causado pelo fechamento da unidade. Disse que vai brigar na Justiça para que a cidade recupere a possibilidade de ter um frigorífico. Trouxe ainda um alerta de que vê ocorrendo em Nova Veneza os mesmos passos que antecederam o fechamento da unidade de Morro Grande.

Ouça o depoimento emocionado do prefeito de Morro Grande, Valdoir Rocha:

Com informações da Rádio Eldorado

Notícias Relacionadas

Governador participa de eventos na região

JBS fecha unidade em Morro Grande e ao menos 740 devem ser demitidos

Encerramento da unidade representará queda de R$ 250 mil ao mês na arrecadação para o município.

Trabalhadores da última turma podem perder direito do saque do FGTS

Lideranças planejam protesto na unidade da JBS em Morro Grande