Geral

Morte de menina de 4 anos é apurada pelo MP após suspeita de negligência médica em SC

Criança teria morrido de dengue. Prefeitura diz que médico foi afastado e vai abrir sindicância.

Foto: Divulgação

A morte de uma menina de 4 anos em Barra Velha, no Litoral Norte de Santa Catarina, é apurada após suspeitas de negligência médica. A criança, Sofia Pereira, teria morrido de dengue.

A família da menina declarou que houve negligência por parte do médico que a atendeu no Pronto Atendimento do município. A Prefeitura de Barra Velha disse que afastou o profissional que fez o atendimento da criança e que vai abrir uma sindicância.

Uma notícia de fato foi instalada pelo Ministério Público de Santa Catarina na segunda-feira (1°). A menina morreu no domingo (31).

Ela teve os primeiros sintomas na quarta (27) e foi levada ao Pronto Atendimento da cidade. Mesmo tendo recebido a pulseira de prioridade, a unidade estava cheia de pacientes e a família demorou para receber a assistência.

“Esse médico não pediu exame, não receitou remédio na veia, nada. Deu remédio comprimido, pomada”, disse a mãe, Ana Paula.

Pelas primeiras informações do MPSC, a menina teria sido atendida em três ocasiões no Pronto Atendimento de Barra Velha e liberada para casa.

Apuração do MP

Na apuração do caso, o MPSC pediu à Secretaria Municipal de Saúde cópias de toda documentação referente aos atendimentos prestados à criança e forneça nome e cargo dos profissionais responsáveis pelos atendimentos.

Além disso, a pasta precisa mandar uma cópia da instauração do procedimento administrativo sobre o caso. O prazo é de 48 horas. A prefeitura informou que recebeu o pedido do MPSC.

O Ministério Público também pediu ao Hospital e Maternidade Jaraguá, para onde a criança foi transferida e acabou falecendo, cópias de prontuários médicos. A unidade de saúde fica em Jaraguá do Sul, a cerca de 50 quilômetros de Barra Velha. O prazo dado ao hospital é de 48 horas.

Por fim, o MPSC pediu à Delegacia de Barra Velha que abra um inquérito policial, o que já foi feito, segundo a Polícia Civil.

O que diz o município

O prefeito interino do município, Daniel Pontes da Cunha, disse em vídeo nas redes sociais que “estamos tomando todas as medidas administrativas cabíveis. Solicitei ao secretário que informasse a empresa, pedindo afastamento do médico que atendeu. Fosse aberta uma sindicância para apurar todos os fatos desse ocorrido, dessa fatalidade. Se houve alguma negligência médica com certeza vai ser apurada”

Com informações do g1 SC

Notícias Relacionadas

Integrantes de organização criminosa são presos por mutilar brutalmente os dedos de uma mulher em Tubarão

A agressão, que foi filmada pelos criminosos, foi motivada por dívida de drogas.

Corpo de Bombeiros de Lauro Müller combate incêndio em caminhão

Havia outros caminhões próximos e, felizmente, colaboradores da empresa conseguiram controlar as chamas até a chegada dos profissionais

Fortaleza pretende acionar Justiça para ter Kayzer

Rodovia SC-390 na Serra do Rio do Rastro está em meia pista