Trânsito

Motociclista multada por não usar cinto de segurança em SC vai ganhar o dinheiro de volta

Caso ocorrido em 2019 em Camboriú teve desfecho judicial neste mês

Divulgação

Depois de pagar multa e perder pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), uma motociclista de Camboriú punida por não usar cinto de segurança conseguiu na Justiça que o erro fosse reconhecido. Ela será ressarcida pelo município e terá os pontos excluídos da carteira pelo Estado.

A decisão é da 2ª Vara Cível da comarca de Camboriú. Tanto o Estado quanto o município alegaram ilegitimidade passiva no caso. O Estado argumentou que o auto de infração foi lavrado pelo município, que é responsável pela fiscalização das infrações de trânsito em vias públicas da cidade. Já a prefeitura sustentou não possuir agente de trânsito e que o controle é feito por convênio com a Polícia Militar do Estado.

Ao analisar a história ocorrida em 2019, a magistrada entendeu que embora a autuação tenha sido realizada por um policial militar, a competência para fiscalização das vias municipais é da prefeitura. Já o Estado também deveria ser citado, pois a motociclista pediu pela retirada dos pontos na carteira. Sobre o erro na autuação não há o que discutir, concluiu.

A Justiça determinou a exclusão dos pontos aplicados e a condenação do município à devolução do valor da multa aplicada, R$ 195, acrescido de juros de mora e correção monetária. A decisão divulgada neste mês é passível de recurso.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Fiesc estuda soluções para alto preço da energia elétrica

Nesta quinta-feira (16), a Câmara de Energia da Federação reuniu-se para discutir alternativas.

Vidro traseiro do carro é quebrado com lajota e carteira é furtada em Orleans

Posteriormente, a carteira e os documentos foram encontrados jogados na beira da Estrada Geral Rio Novo.

Contato Internet Contrata em Tubarão

Homem com mandado de prisão por homicídio é detido pela Polícia Militar de Criciúma

Ele foi flagrado pela PM durante o atendimento de ocorrência na qual cinco homens estariam agredindo um outro homem em via pública.