Geral

Movimentação de cargas no Porto de Imbituba cresce 13,8% no primeiro trimestre

No acumulado de janeiro a março, o Porto operou mais de 1,3 milhão de toneladas, alta de 13,8% se comparado ao 1º trimestre de 2020

Divulgação

A operação no Porto de Imbituba segue apresentando resultados operacionais e financeiros positivos. No acumulado de janeiro a março, o Porto operou mais de 1,3 milhão de toneladas, alta de 13,8% se comparado ao 1º trimestre de 2020. O crescimento no volume de cargas refletiu diretamente na arrecadação tarifária, que cresceu 18,4% no mesmo período. A expectativa da SCPAR Porto de Imbituba é de que o Porto alcance novo recorde histórico de movimentação em 2021, ultrapassando as 6 milhões de toneladas.

O diretor-presidente da Autoridade Portuária, Fábio Riera, avalia que os resultados do período foram muito positivos em relação às expectativas que geralmente caracterizam o início do ano, com ritmo menor de operações em relação aos demais meses. “Temos plena confiança na potencialidade do Porto e, juntamente com toda a comunidade portuária de Imbituba, trabalhamos para superar os resultados e promover o desenvolvimento regional, de forma parceira, comprometida e responsável”, afirma Riera.

De janeiro a março, 56 atracações ocorreram em Imbituba. Com relação ao portfólio de cargas atendidas, o malte/cevada, a hulha betuminosa, o sulfato de sódio, o coque e o sal apresentaram os maiores índices de crescimento. Também registraram alta: o milho, o cloreto de potássio e a barrilha. A ureia, o minério de ferro e os contêineres tiveram queda no volume operado em toneladas, se comparado ao realizado no 1º trimestre de 2020. Por outro lado, em relação à lista de produtos atendidos nos três primeiros meses do ano passado, foram agregadas ao portfólio: a celulose, as comidas em bags, a soda cáustica e os fosfatos MAP/DAP.

O período também foi marcado pela cabotagem de cabos para transmissão de energia elétrica, o embarque inaugural de coque calcinado com a utilização de contêineres para transporte do granel até o navio e o início do escoamento da produção de soja.

No âmbito das melhorias em infraestrutura, foram entregues as bases definitivas de apoio à família dos caminhoneiros, concluída a reforma da portaria 1, continuadas as obras de remodelação da iluminação das vias internas e iniciada a demolição das instalações do antigo Terminal de Cargas Frigorificadas (TERFRIO), a reforma da edificação da balança 2 e a recuperação do Cais 2. Além disso, foi entregue o projeto básico da obra de recuperação e reforço do Cais 3, reiniciados os estudos para a próxima fase de ampliação da via férrea dentro do Porto e dado continuidade à análise para implantação da portaria 4.

O diretor de Administração e Finanças da Autoridade Portuária, Fabrício Debortoli, ressalta que o reaquecimento da economia e consequente aumento nas operações portuárias intensificaram alguns serviços de manutenção e melhorias dentro do Porto. “Ainda assim, os números se mantiveram nos mesmos patamares registrados de janeiro a março do exercício anterior e a perspectiva é de que, nos próximos meses, as receitas acompanhem o aumento da movimentação e a geração de caixa positivo possa contribuir para a realização dos investimentos estruturais planejados”, conclui Debortoli.

Notícias Relacionadas

Dois projetos aprovados e treze proposições pautam sessão do Legislativo de Lauro Müller

Cocal do Sul adere a campanha “Faça Bonito” em alusão ao abuso sexual infanto-juvenil

O dia 18 de maio é uma data instituída para refletir e debater o assunto e chamar a atenção da população quanto ao tema

CCR ViaCosteira informa cronograma semanal de obras na BR-101 Sul

Para a execução desses os serviços são necessários bloqueios de faixas e operações pare-e-siga, podendo ocasionar lentidão ou retenção de veículos em alguns segmentos

Vacina é esperança para população e pôr fim à pandemia, diz Queiroga

Ministro da Saúde visitou Instituto Bio-Manguinhos da Fiocruz no Rio