Segurança

Mulher é condenada por matar idoso em Laguna

O crime, que chocou a cidade, aconteceu na casa da vítima, no bairro Magalhães. A condenada realizava serviços na casa de João há pelo menos dois anos.

Foto: Divulgação

A jovem de 29 anos acusada de matar João Pires de Souza, de 72 anos, foi condenada a 20 anos de prisão em regime fechado. Luciana Cássia da Silva Esteves segue presa desde abril. A informação foi divulgada pelo Diário do Sul.

A jovem foi presa quando tentava fugir para o Rio de Janeiro. A morte do idoso aconteceu em agosto, e seu corpo foi encontrado dias depois por familiares.

De acordo com a sentença, Luciana foi condenada por latrocínio, e teve negado o pedido para recorrer da sentença em liberdade. A sentença contra a jovem de Laguna foi conhecida essa semana e ela deverá cumprir pena no Presídio de Tubarão.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Bruno Fernandes, a mulher conhecia João Pires há mais de dois anos, porque fazia faxina na casa dele. O crime, que chocou a cidade, aconteceu na casa da vítima, no bairro Magalhães. A condenada realizava serviços na casa de João há pelo menos dois anos.

Para a polícia, a condenada disse que foi à casa do idoso para receber seu pagamento, e ele teria tentado investir contra ela, tentando colocar a mão em suas partes íntimas. Foi quando Luciana o agrediu e ele retribuiu as agressões. Assim, por conta das agressões e da briga, foram parar no outro quarto.

Por fim, quando conseguiu dominar a situação, Luciana deu um mata-leão no idoso, e ele faleceu. Em seguida, puxou o travesseiro e o colocou sobre o rosto dele. Depois, fugiu com a televisão de João e uma quantia em dinheiro, cerca de R$ 115, que iria usar para fugir de Santa Catarina. Na época, Luciana foi presa em Palhoça.

Notícias Relacionadas

Idoso capota carro sobre a Ponte Anita Garibaldi, em Laguna

Motorista de aproximadamente 80 anos estava sozinho quando perdeu o controle do veículo com placas de Braço do Norte.

Morador é executado com cinco tiros em Criciúma

Segundo informações, a vítima saiu recentemente do presídio e possui passagens por pedofilia e estupro de vulnerável.

Por chineladas em criança de quatro anos, Tribunal de Justiça mantém condenação de padrasto em Criciúma

A criança possuía várias marcas pelo corpo, em regiões das pernas, costas e nádegas.

VÍDEO: Delegado de Criciúma intervém em assalto e mata criminoso

Um policial militar que estava no local tentou desarmar o assaltante, entrando em luta corporal. Houve a intervenção do delegado que foi abordado pelo criminoso momentos antes, no caixa do estabelecimento.