Geral

Mulher é condenada por tortura após espancar e jogar filha de 2 anos contra parede em SC

Segundo o TJSC, as agressões aconteceram para punir a menina, que havia sujado o chão recém limpo pela mãe.

Foto: TJSC/ Divulgação

A Justiça condenou uma mulher a três anos de reclusão em Lages, na Serra catarinense, por torturar a própria filha, uma criança de dois anos, em novembro de 2021. Segundo o Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), as agressões aconteceram para punir a menina, que havia corrido e sujado o chão recém limpo pela mãe. A decisão foi divulgada nesta segunda-feira (16).

Segundo a decisão do juiz Alexandre Takaschima, titular da 2ª Vara Criminal da comarca de Lages, a criança deve ficar sob os cuidados da avó materna.

Na ocasião, a mãe foi presa em flagrante, em Lages, após desferir tapas nas nádegas e no rosto da criança, causando cortes no lábio da menina. Segundo a denúncia, a mulher ainda a pegou a filha pelo braço e a jogou contra a parede. A vítima teve lesões na região das costas, coxa e pernas.

Familiares relataram à Justiça que as agressões eram praticadas com frequência e que a mãe afirmou não querer a criança. Inclusive, teria dito que a menina deveria morrer. Conforme a decisão, as ações da mulher promoveram sofrimento e extrapolaram qualquer limite educativo.

“A denunciada poderia ter se utilizado de meios mais adequados no trato da criança, não havendo justificativa para a desmedida violência praticada contra a menor, especialmente porque tais agressões apenas prejudicam o seu desenvolvimento físico e psicológico”, frisa o juiz.

O juiz negou à mulher o direito de recorrer em liberdade. O processo tramita em segredo de Justiça.

Com informações do G1

Notícias Relacionadas

Médica é condenada por morte de paciente após cirurgia em Orleans

O fato aconteceu em setembro de 2014, quando a vítima havia sido internada para a retirada de um cisto no ovário.

Condenada na comarca de Sombrio servidora que causou prejuízo de R$ 90 mil aos cofres públicos

Os fatos aconteceram em dezembro de 2012, quando a requerida ainda integrava o quadro da administração pública em cargo de confiança

Dentista de Forquilhinha é condenada por homicídio e ocultação de cadáver

O crime aconteceu em dezembro de 2015. A mulher, motivada pelo desejo de colocar um fim no relacionamento conturbado, teria assassinado o namorado com golpes de faca.

Professora com atestado que vai fazer campanha política é condenada por improbidade

O fato foi registrado em setembro de 2016.