Segurança

Mulher é presa suspeita de botar fogo na casa de padre em Camboriú

Ela já havia sido presa em 2017 por assaltar a mesma vítima e foi solta em abril deste ano.

Foto: Reprodução/NSC TV

Uma mulher de 39 anos foi presa na manhã deste sábado (9) suspeita de botar fogo na casa de um padre em em Camboriú, no Litoral Norte, na noite de quarta-feira (6). Conforme a Polícia Civil, a suspeita já havia sido presa em 2017 por assaltar o padre, que chegou ser amarrado e ameaçado.

A casa do padre Antônio Wilbert foi totalmente destruída pelo fogo. O incêndio começou pela varanda e queimou os dois andares da residência.

De acordo com a Polícia Civil, no mesmo dia em que a casa foi incendiada, a mulher o ameaçou o com uma faca.

Conforme o delegado Paulo Caixeta, a suspeita é que ela teria botado fogo na residência por vingança, já que na época do assalto, foi reconhecida pelo padre, fato determinante para a prisão em flagrante.

Ela foi detida neste sábado no Bairro Rio Pequeno, cumprindo um mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça. Nesta manhã, ela permaneceu calada na delegacia e foi encaminhada para o Presídio Regional de Itajaí.

A prisão por assaltar o padre foi em 16 de janeiro de 2017. Na época, alegou estar sob o efeito de drogas e praticou o crime junto com um sobrinho. A mulher ficou presa até abril de 2018. Ainda de acordo com a Polícia Civil, a mesma suspeita botou fogo na casa da própria mãe em 2014.

Foto: Divulgação/NCS TV

Com informações do site G1 SC

Notícias Relacionadas

Incêndio criminoso em veículo é investigado em Tubarão

Estiagem em SC: Governo do Estado destina mais R$ 3 milhões para ações de enfrentamento

Os recursos serão destinados para municípios que já tenham declarado e homologado os seus pedidos de emergência hídrica.

Criciúma: Registro da 128ª morte por coronavírus

O homem de 79 anos morreu nesse domingo, 29.

Governador anuncia R$ 44 milhões para reativação de 205 leitos de UTI para tratamento de Covid-19 em SC