Geral

Museu ao Ar Livre firma convênio internacional com o Museu de Genova, na Itália

O reitor Guilherme Valente de Souza, destacou que o ato é um marco histórico da instituição

Divulgação

O Museu ao Ar Livre Princesa Isabel (Malpi), de Orleans, firmou convênio com o Museo Nazionale dell’Emigrazione Italiana (MEI) de Genova, na Itália, nesta manhã de quinta-feira (29/07). A cerimônia aconteceu de forma virtual, e pelo acordo o Malpi, e o museu italiano desenvolverão parceria com a intenção de compartilhar documentos, colaborar para a proteção, valorização, divulgação do patrimônio cultural da emigração (na visão italiana) e imigração (na visão brasileira).

O reitor Guilherme Valente de Souza, destacou que o ato é um marco histórico da instituição. “Será muito importante a interação entre os dois museus”, disse Valente, destacando o acervo documental sobre a Imigração Europeia, existente no Centro de Documentação Histórica Plínio Benício (CEDOHI). O acordo ainda prevê o desenvolvimento de pesquisas sobre o fenômeno migratório, mediante o envolvimento colaborativo e de acordo com as partes.

O secretario do Comitato di Indivizzo Mei, Pierangelo Campodonico, disse que o Museu da Emigração em Genova, tem previsão de ser inaugurado em 2022, na próxima primavera italiana e quer contar a história dos italianos espalhados nos cinco continentes. Conforme ele descreveu, os brasileiros são os que têm mais orgulho de recolher documentos, fotos e histórias. A intenção é ainda ter um grande museu digital. Conforme Campodonico, o Brasil é o terceiro pais que mais recebeu imigrantes italianos no mundo, ficando atrás dos Estados Unidos e da Argentina. “Nossa missão é de recolher essas histórias”, declarou.

A diretora do Museu ao Ar Livre, Valdirene Böger Dorigon, diz que o Malpi será um colaborador da instituição italiana, incorporando documentos e pesquisas relativas a imigração italiana no Brasil, oportunizando a divulgação do nosso patrimônio cultural. “Isso terá uma ampla divulgação a nível nacional e internacional”, aponta.

A cerimônia ainda teve participação do prefeito de Orleans, Jorge Koch; do Consul Italiano para Paraná e Santa Catarina, Salvatare di Venezia; do pró-reitor administrativo do Unibave; Dimas Ailton Rocha; da diretora de cultura do Unibave, Edina Furlan Rampinelli e do técnico de TI, Paulo André.

Como começou a aproximação?

O museólogo e colaborador do Unibave, Idemar Ghizzo, participou do programa de Rádio “Itália Mia”, a convite do apresentador do programa Andrea Dorini, divulgado pelo Grupo Mundial News. O assunto discutido foi o processo de imigração e a cultura italiana na região sul catarinense.

Ao saber do acervo documental sobre a imigração europeia existente no CEDOHI, Dorini, produziu um texto apresentou on-line aos técnicos e ao presidente do Museu Nacional da Emigração Italiana, situada em Gênova na região da Ligúria, na Itália. O presidente diretor do museu italiano, Paolo Masini, demonstrou interessa da instituição em colaborações com universidades, institutos, arquivos e comunidades italianas no exterior, para criar um centro cultural capaz de desenvolver iniciativas sobre os diversos temas que o Museu Nacional de Emigração Italiana vem estudando.

Depois foi proposta a parceria entra as duas instituições com a intenção de compartilhar documentos e colaboração para preservar e divulgar o patrimônio cultural e histórico da emigração italiana. Idemar ainda comentou a formalização da parceria, dizendo que ela é um reconhecimento do trabalho que vem sendo feito. “Essa parceria será o início de novas pesquisas, onde cópias do nosso acervo documental será apresentada em Genova, levando nossa marca para a Europa”, comentou.

Notícias Relacionadas

São Ludgero vacina contra Covid-19 adolescentes com 13 anos

Acontece na Sala de Vacinas, localizada na ESF Margem Esquerda.

Mulheres Artesãs da Coopercocal retomam atividades presenciais

As atividades iniciaram na última semana, com capacidade reduzida, seguindo todos os protocolos de segurança.

CRAS de Orleans é invadido e tem TV, notebook, celular e caixas de som furtados

Quando chegou para trabalhar no local, servidora constatou que a janela estava aberta e que havia uma cadeira próxima a ela.

Coronavírus em SC: 70% das cidades não registram mortes por Covid em setembro

Das 295 cidades catarinenses, 204 não registraram óbitos no mês de setembro.