Geral

“Não sabia para onde correr”, diz vítima atingida por vazamento de gás tóxico em empresa de SC

Polícia Militar Ambiental vai multar a empresa responsável por poluição atmosférica

Foto: Divulgação

A Polícia Militar Ambiental vai multar a empresa responsável pelo vazamento de amônia em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina. O caso aconteceu no domingo (9) e 18 pessoas foram encaminhadas ao hospital devido a intoxicação do gás tóxico.

O acidente ocorreu em uma central de armazenamento de produtos congelados de Chapecó. A amônia não tem contato direto com os alimentos, entretanto, é essencial para tirar o calor do ambiente. Nesses locais, o gás passa por canalização em tubos lacrados, onde são realizadas manutenções diariamente. De acordo com a Defesa Civil, foi uma falha nos procedimentos que causou o vazamento.

— É protocolo quase que diário de limpeza do sistema. É um sistema canalizado, isolado, não tem vazamento algum. Naquele momento era um processo de limpeza da estrutura e houve um acidente de falha de procedimento e equipamento — diz Luciano Huning, coordenador da Defesa Civil.

Pessoas que passavam perto da empresa onde aconteceu o vazamento também puderam sentir o odor forte de amônia. Esse foi o caso do caminhoneiro Valdir Lino, que precisou estacionar o veículo por conta do cheiro.

— Estava dentro do caminhão com as janelas abertas. Fechei a janela porque asfixiava. Era muito forte — fala.

O vazamento de amônia atingiu pelo menos 28 pessoas de duas empresas diferentes, com 18 vítimas que precisaram ser encaminhadas ao hospital. Entre elas estava a cozinheira Ivonete Chagas de Lima.

— É desesperador porque a gente não sabe o que faz. Na verdade, não tinha um treinamento. A gente sabe que tinha que colocar um pano na boca, mas não sabia para onde correr — contou.

Polícia Militar Ambiental vai multar a empresa

A empresa vai responder administrativamente por infração ambiental e terá que pagar uma multa pelo crime de poluição atmosférica e por danos à saúde humana. O valor da multa será definido em 10 dias. A Polícia Militar Ambiental também vai encaminhar as informações ao Ministério Público. Além disso, a Defesa Civil vai fazer uma avaliação do plano de contingência e a revisão dos procedimentos.

Em nota, a empresa responsável afirmou que todas as vítimas já tiveram alta do hospital e que não sofreram nenhum dano. Eles também informaram que o vazamento ocorreu somente na área externa e que o local está apto para funcionar.

Confira a nota na íntegra

“A A.P CHAPECÓ SERVIÇOS DE LOGÍSTICA vem a público informar que, na noite do último domingo (09/06/2024), houve um vazamento de amônia no interior da sua sala de máquinas, sendo necessária a evacuação do local para realização dos reparos pertinentes.

A empresa esclarece que o vazamento foi rapidamente contido e, com o auxílio da Defesa Civil, Bombeiros, SAMU, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e a Guarda Civil, prestou todo o apoio e suporte às pessoas que necessitaram de atendimento médico.

Felizmente todas as vítimas envolvidas já tiveram alta hospitalar, sem nenhum dano.

Aos nossos clientes informamos que o vazamento ocorreu somente na área externa da empresa e que atualmente o local está apto ao funcionamento.

Lamentamos pelo ocorrido e informamos que estamos focados e trabalhando para que esse problema não ocorra novamente“.

Notícias Relacionadas

Governo de SC autoriza a concessão de uso e exploração do Mirante da Serra do Rio do Rastro

O governador Jorginho Mello destacou a importância do projeto para o desenvolvimento econômico e turístico da região.

Colégio Satc promove espaço de orientação com projeto ‘Conexão Família’

Proposta envolve encontros com temáticas que impactam no desenvolvimento educacional dos alunos

ACIO promoverá capacitação sobre como solucionar conflitos, em Orleans

O treinamento será ministrado pela especialista Paola Oliveira, nos dias 24 e 25 de junho.

Homem é preso com drogas dentro de casa em Orleans

Ele foi encaminhado ao Presídio Santa Augusta