Geral

No Dia Internacional da Mulher, Satc promove reflexões sobre protagonismo feminino

Violência de gênero e espaço delas no mercado de trabalho são pautas de atividades realizadas com alunos do ensino médio e cursos técnicos

Divulgação

Cada vez mais, as mulheres conquistam seus lugares na sociedade, e no âmbito educacional não é diferente. Para promover reflexões sobre a importância do protagonismo feminino, o Colégio Satc promove nesta semana uma série de atividades em alusão ao Dia Internacional da Mulher (8). A programação iniciou com uma mesa redonda sobre políticas públicas de enfrentamento à violência contra as mulheres.

Com mediação da socióloga Rosiane Albuquerque, a mesa redonda foi composta pela professora de História e mestra, Andressa de Oliveira, com a participação da professora de Artes, Andreza de Oliveira, e da psicóloga Joseane Nazário, ambas integrantes do Projeto Adinkras-Sankofa – Grupo de apoio às mulheres vítimas de violência do município de Forquilhinha.

A professora de História destacou que a data é comemorativa, mas que não se pode esquecer de todas as mulheres que batalharam – e lutam até hoje – para garantir o direito a igualdade de gênero. “Estamos falando no plural. Não é apenas uma mulher. Somos todas nós. Nós somos marcadas por diversidades culturais que devem ser respeitadas, mas sempre respeitando o direito da mulher de ser mulher”, ressaltou.

O colégio ainda promoveu um recreio cultural para valorizar o talento feminino das alunas e dar espaço para elas se expressarem através da música. O evento foi embalado pelas vozes das alunas Maria Julia, Julia Marques e Izabelli Scussel.

Mulheres no mercado de trabalho

O espaço delas no mercado de trabalho também ganha destaque na semana especial da mulher do Colégio Satc. Isabel Feijó, Mara Rejane e Kamili Guimarães, mulheres que atuam em diferentes áreas profissionais, estarão contando suas histórias para os alunos e palestrando sobre empreendedorismo, motivação e perseverança feminina.

Para a coordenadora dos ensinos médio e técnico do Colégio Satc, Adriana Just Schmidt, introduzir discussões sobre violência contra mulher, valorização feminina e o espaço delas no mercado de trabalho são importantes para que os alunos levantem a bandeira do respeito desde cedo.

“Buscamos fazer uma sensibilização porque quando falamos sobre violência contra mulher não é só a violência física. É o assédio moral, as brincadeiras sexistas, o preconceito com a menina porque ela está fazendo determinado curso técnico… E esse tipo de ação pode resultar em grandes consequências”, frisou.

Segundo a coordenadora, quando a Satc levanta essa bandeira, significa estar levantando a bandeira do amor. “Se eu, enquanto mulher, me amo e entendo que o corpo é meu e a vida é minha, eu aprendo que tenho que ter ao meu redor pessoas que me valorizam e não ser submissa à uma cultura que não me respeita”, finalizou.

Notícias Relacionadas

No Dia Internacional da Mulher, aos 17 anos, goleira de Criciúma realiza sonho de disputar Taça Libertadores da América

Josianne está na competição defendendo a equipe do Avaí/Kindermann ao lado da goleira Bárbara da Seleção Brasileira

No dia internacional da mulher, Sicredi Sul SC anuncia linhas de crédito para empreendimentos femininos

Recursos estão disponíveis para micro, pequenas e médias empresas associadas, além de empreendedoras do agronegócio

No Dia Internacional da Mulher, Cocal do Sul promove formação e capacitação

A palestra foi ministrada pelo advogado Clademir Manoel de Souza, para profissionais dá área da saúde e assistência social

PM apreende torrão de maconha e 42 comprimidos de ecstasy em Criciúma

Apreensão aconteceu na madrugada desta quinta-feira, 19, no bairro Renascer