Geral

No Dia Internacional das Crianças Desaparecidas, MPSC cria cartilha de dicas para orientar pais

Pequenos cuidados diários podem prevenir que índices de desaparecimentos infantis continuem subindo em todo o Brasil

Foto: Reprodução

A data 25 de maio foi escolhida como representante do “Dia Internacional das Crianças Desaparecidas” para, anualmente, alertar sobre os cuidados que podem ser tomados para evitar desaparecimentos ou auxiliar na busca de menores desaparecidos.

Para isso, neste ano, o MPSC (Ministério Público de Santa Catarina) lançou uma cartilha com alguns passos que podem ser tomados para prevenir o desaparecimentos de crianças, bem como para orientar pais e responsáveis sobre o assunto.

Confira quais são:

  • Fazer o Registro de Identidade Civil – RG (carteira de identidade) da criança o quanto antes, para que suas informações constem nos bancos de dados dos órgãos públicos;
  • Ensinar a dizer seu nome completo e de seus pais;
  • Ensinar a memorizar o telefone de casa e dos pais;
  • Para as crianças pequenas, o uso de pulseira de identificação com nome e telefone pode ser um grande aliado;
  • Em locais públicos sempre saiba onde seu filho está e informe a ele onde você está;
  • Orientar a não conversar, aceitar doces ou brinquedos, ou ir a qualquer lugar com pessoas estranhas;
  • Manter as crianças sempre à vista, especialmente em locais de grande movimento;
  • Acompanhar as crianças nos banheiros públicos;
  • Levar e buscar nas festinhas e outros programas ou orientar os anfitriões sobre quem são os únicos adultos responsáveis que poderão acompanhar as crianças;
  • Em eventos, mostre ao seu filho as pessoas que fazem a segurança ou os responsáveis a quem ela pode pedir ajuda, se necessário. Combine um ponto de encontro para o caso de se perderem;
  • Quando for buscar seu filho chegue na hora combinada, ou avise que irá atrasar;
  • Na escola, orientar a somente liberar seu filho a pessoas autorizadas;
  • Garantir que estejam sempre com pessoas conhecidas e de confiança;
  • Conhecer os amigos dos seus filhos e acompanhe as mudanças de comportamento da criança;
  • Manter a conexão e diálogo com os filhos.

Desaparecimentos de crianças no Brasil

Dados cadastrados no Sinalid (Sistema Nacional de Localização e Identificação de Desaparecidos) indicam que, no Brasil, 4,64% do total de desaparecimentos são de crianças de 0 a 11 anos e 30,90% de adolescentes e jovens entre 12 a 17 anos.

Em Santa Catarina, dados da Delegacia de Polícia de Pessoas Desaparecidas da Polícia Civil marca o registro de 15 desaparecimentos de menores de 18 anos no Estado, num total de 163 pessoas desaparecidas atualmente em diversos municípios catarinenses.

O que fazer em casos de desaparecimentos?

Procure as autoridades assim que perceber se há algo errado, dirigindo-se para os órgãos de segurança pública a fim de registrar um boletim de ocorrência. Lembre de levar documentos de identificação e fotos recentes da pessoa desaparecia, se possível. Não é preciso aguardar 24 horas para buscar ajuda;

Em Santa Catarina, o atendimento especializado da Delegacia de Polícia de Pessoas Desaparecidas (48) 98844-0011 ou 3665-5595 é indicado para registrar o BO.

Contudo, a Delegacia mais próxima pode ser procurada para o registro, que posteriormente é encaminhado à unidade especializada;

Também pode ser utilizado em Santa Catarina o Disque Denúncia 181 ou contato via e-mail: [email protected];

A Polícia Militar conta com o Programa SOS Desaparecidos, que possui uma equipe de dedicação exclusiva para situações de desaparecimento e pode ser contatada em caso de emergências pelo 190, ou ainda nos números (48) 3665-4715 ou (48) 98843-3152. E-mail: [email protected];

Quando já em posse do número de ocorrência policial, é possível contatar a Polícia Científica de Santa Catarina que auxiliará nas buscas mediante a coleta de materiais biológicos dos familiares e inserção dos seus perfis genéticos em banco de dados estadual e nacional, além da realização de progressão de idade e modificações faciais em imagens, se for o caso. Contatos: (48) 98843-7253 / [email protected];

Em Florianópolis, há um Grupo de Apoio aos Familiares de Desaparecidos para o apoio, orientação e encaminhamento dos familiares para assistência social, psicológica e jurídica.

Vale destacar que comunicar o reaparecimento aos órgãos públicos é de fundamental importância, pois possibilita que as autoridades foquem nos casos ainda não solucionados.

Com informações do ND+

Notícias Relacionadas

Secretaria de Saúde de Criciúma reforça chamado de gestantes, puérperas e crianças para vacinação contra influenza

Agentes Comunitários de Saúde visitarão as residências para monitoramento e intensificação de informações por causa da baixa adesão à campanha nacional

Mais de 5,7 mil crianças comparecem na 1ª etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo em Criciúma

Número superou a expectativa da Secretaria Municipal de Saúde. Segunda etapa inicia dia 18 de novembro, com foco em adultos de 20 a 29 anos

Centro de Convivência: Siderópolis terá novo espaço para receber crianças, jovens, adultos e idosos

O local receberá grupos que integram o serviço de convivência, que totalizam 326 pessoas, entre crianças, jovens, adultos e idosos.

Assistentes sociais do Poder Judiciário estudam garantia do direito à convivência familiar de crianças e adolescentes

Os nove pesquisadores integrantes do grupo trabalharam na elaboração de um subprojeto para a produção e disseminação de conhecimentos e o aperfeiçoamento de metodologias de trabalho na área