Geral

“Nos olham torto”, diz neta que perdeu a avó para a Covid-19, em Balneário Gaivota

Após perda da vó, neta conta que moradores do município vêm tratando com preconceito os familiares, mesmo estando em isolamento e não tendo apresentando sintomas da doença.

Divulgação

Não basta a dor da perda, Joana* vem sofrendo também o preconceito dos vizinhos. Desde que a sua avó, de 71 anos, morreu de Covid-19 no último dia 2 de abril, Joana conta que os moradores de Balneário Gaivota, vem recebendo mal a família.

“Como foi publicado nas redes sociais, o pessoal começou a olhar torto. Querem saber onde moramos e dizem que não podemos andar na rua. As pessoas não têm noção que estamos enfrentando o luto” desabafa.

Os familiares, que não apresentaram os sintomas de Covid-19, estão isolados em casa e só “saem para coisas mínimas”. A morte da idosa foi a primeira na região.

Até agora ainda não sabem como a avó contraiu o vírus. Devido aos problemas nos ossos, ela passava a maior parte do dia dentro de casa .”Nós suspeitamos que ela foi a um local com alto risco de contaminação, como hospitais. Na medida que passou alguém infectado, ela pegou”, conta Joana.

Aposentada, a idosa já possuía histórico de pneumonia, problemas de coração e respiratórios. Entretanto eles se agravaram nos últimos anos. Assim, os sintomas da Covid-19 se confundiram com o das outras doenças que a idosa sofria.

A avó foi hospitalizada após apresentar falta de ar no último dia 29. No dia seguinte, ela passou por hospitais em três cidades – de um hospital de Sombrio, ela foi transferida para o Hospital Regional de Araranguá e, em seguida, para o hospital de Criciúma.

Em Criciúma ela recebeu o teste positivo para coronavírus. Três dias depois ela não resistiu e morreu de Covid-19.

O velório, com o caixão lacrado, durou apenas 15 minutos. “Após oração, já foi enterrado. Não deu nem tempo para se despedir direito”, conta a neta. “As pessoas acham que isso é brincadeira e ficam fazendo chacota. Mas espera um familiar passar por isso, é triste”.

*A reportagem utilizou um nome fictício para preservar a privacidade da família, a pedido dos parentes

Com informações do site ND Mais

Notícias Relacionadas

Amurel recomenda que municípios adotem nova quarentena por causa da Covid-19

Associação dos Municípios da Região de Laguna (Amurel) contempla 18 prefeituras. A situação da região é considerada gravíssima pelo governo de Santa Catarina em relação à doença.

Coronavírus em SC: Fapesc aprova cinco projetos de pesquisa e destina R$ 500 mil a estudos sobre Covid-19 no estado

O edital buscava estudos que apontassem soluções para o combate à epidemia e seus efeitos na sociedade e na economia.

Prefeito de Nova Veneza assina decreto de formação da Comissão de Acompanhamento, Controle, Prevenção e Monitoramento ao Coronavírus

Nova Veneza não tem casos confirmados da doença, apenas pessoas em isolamento domiciliar que já foram acompanhados, mas devem permanecer em quarentena pois chegaram de viagem.

Coronavírus em SC: Governador planeja retomada gradativa da atividade econômica e projeta 713 novos leitos de UTI

O objetivo é adequar as medidas de isolamento à necessidade dos catarinenses com segurança.