Geral

Nova medida prevê redução na tarifa de até 50% dos consumidores da Casan

Mudança na estrutura tarifária terá início a partir de março. A ação tem como objetivo incentivar o consumo consciente da água.

Foto: Divulgação

Uma nova estrutura tarifária dos serviços de abastecimento de água e esgoto entrará em vigor a partir do dia 1º de março. O objetivo é fazer com que os consumidores se atentem ao uso racional da água, possibilitando através disso, uma economia no valor total da fatura. A medida será efetuada a partir das tarifas de março, com pagamento para abril. A mudança também implicará na cobrança da taxa de esgoto.

A nova estrutura prevê o fim do consumo mínimo de 10 m3, valor que atualmente chega a R$ 45,19. A taxa de disponibilidade de serviço entra no lugar, chegando a R$ 29,19. A partir do consumo excessivo da taxa, o valor será cobrado pelo consumo apresentado no hidrômetro.

De acordo com o gerente da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) em Criciúma, Jaison Araújo Speck, a mudança do sistema tarifário vem de encontro com um estudo realizado entre a Agência Reguladora de Santa Catarina (ARESC) e a Casan. “A ideia é, ter uma taxa para disponibilidade do serviço, que para as residências será de R$ 29,49. E a partir do consumo mensal será gerado um acréscimo de R$ 1,96 por m3 consumido. Isso até 10m3. Para o excedente desses 10m3 passa a cobrar 9,11 por m3”, explica.

Segundo com os dados atuais apresentados pelo cadastro da empresa, aproximadamente 50% dos usuários terão uma redução na tarifa. Outros 16%, que não tinham o estímulo de economizar devido ao pagamento da tarifa mínima, a partir da mudança, serão incentivados ao uso consciente e com isso, estarão sujeitos a um valor menor da fatura. “Esse novo sistema de tarifação vai privilegiar os clientes conscientes que economizam água, já quem não faz o uso consciente vai pagar mais caro. Quem consome 8m3 ou menos vai pagar um valor reduzido comparado à hoje”, acrescenta.

De acordo com a Casan, o consumo médio dos moradores em Santa Catarina é de 154 litros/dia, número esse que pode ser reduzido através de práticas que influenciam no uso consciente e responsável da água. A nova medida estabelece uma tarifa mais justa e sustentável, possibilita valores mais adequados ao consumo de cada família ou imóvel e, além disso, alinha à região a tendência nacional de extinguir um consumo mínimo.

Durante a estação mais quente do ano, o consumo da água aumenta expressivamente e, na maioria das vezes, pode ser preocupante. Além das temperaturas elevadas, a escassez também é registrada pela falta de chuvas, fator que afeta negativamente segmentos como a agricultura e regiões mais secas. Com isso, a conscientização de cada pessoa para evitar o uso excessivo da água, é primordial. Em alguns locais, o aumento do uso durante este período pode chegar a 300% e por pessoa, entre 10% e 15%.

Com informações do site TNSul

Notícias Relacionadas

ALERTA: Período de seca pode comprometer consumo de água em Lauro Müller

A represa localizada em Rio Bonito, a qual abastece os setores de abrangência da companhia em Lauro Müller, está quase seca.

Programa visa incentivar a separação de lixo e proporcionar uma redução na taxa de resíduos sólidos em Criciúma

Separar, lavar e levar os resíduos sólidos até os PEVs, este é o processo do Programa Jogue limpo com sua cidade. Método também proporcionará uma redução da taxa de lixo em 2021

Taxa da coleta de lixo: boletos entregues poderão ser pagos sem encargos adicionais

Com prazo prorrogado para o dia 20 de dezembro, os munícipes podem utilizar o mesmo boleto com o vencimento anterior para pagamento

Casan pede que consumidores economizem água por causa da escassez de chuvas

Ações como evitar lavar calçadas, pátios e carros ajudam. Níveis dos rios que abastecem cidades baixaram.