Geral

Número de desempregados cai, mas ainda atinge 12,4 milhões de brasileiros

A pesquisa revela também que o número de empregados sem carteira de trabalho assinada chegou a 11,9 milhões de pessoas.

Carteira de trabalho

Divulgação

A taxa de desocupação no Brasil ficou em 11,6% entre os meses de agosto e outubro deste ano, atingindo 12,4 milhões de pessoas. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada nesta sexta-feira (29), pelo IBGE.

O levantamento mostrou também que o número de empregados sem carteira de trabalho assinada no setor privado chegou a 11,9 milhões de pessoas. Este é o novo recorde na série histórica. Outro recorde foi na quantidade de trabalhadores por conta própria, que chegou a 24,4 milhões de pessoas.

Segundo a analista da pesquisa Adriana Beringuy, a redução de desempregados está diretamente relacionada ao aumento dos trabalhadores por conta própria e dos empregados sem carteira assinada.

“Essa redução da desocupação está ocorrendo porque está havendo expansão no número de trabalhadores, de mais pessoas ocupadas, que tem encontrado ocupação, principalmente em atividades que elas se inserem enquanto trabalhador por conta própria; empregado no setor privado, porém sem carteira de trabalho assinada, que, de certo modo, mostra um crescimento desses vínculos que nós chamamos mais informais”, conta.

O rendimento médio real habitualmente recebido em todos os trabalhos pelas pessoas ocupadas foi de R$ 2.317,00 no trimestre de agosto a outubro, registrando uma estabilidade frente ao trimestre de maio a julho e também em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

Com informações do site 4oito

Notícias Relacionadas

CNT: número de pontos críticos nas rodovias aumenta em 75,6%

Pesquisa analisa mais de 108 mil kms de rodovias em todo país

Medidas antitabaco diminuíram em 40% o número de fumantes no Brasil

As medidas adotadas, incluindo a proibição de fumo em locais fechados, estão fazendo o efeito previsto e mudando a percepção da sociedade de que fumar não é glamoroso e positivo e sim um problema de saúde pública.

Número de pacientes com hepatite cresce 20% em 10 anos no Brasil

Apesar do aumento, o levantamento apontou queda de 9% no total de mortes, saindo de 2.402 em 2007 para 2.184 em 2017.

Governo quer ampliar número de municípios que recebem venezuelanos

Protocolo de intenções foi assinado nesta quarta com agências da ONU