Segurança

Operação Tamanduá prende 11 pessoas por tráfico de drogas em Braço do Norte

As prisões ocorreram na manhã desta sexta-feira (4) com atuação de mais de 70 policiais.

Divulgação/Polícia Civil

Policiais civis e militares participaram da Operação Tamanduá na manhã desta sexta-feira (4). O objetivo foi o combate ao tráfico de drogas na cidade de Braço do Norte. A operação resultou na prisão de 11 pessoas envolvidas com o comércio de drogas na região. Além disso, 15 mandados de busca e apreensão foram cumpridos.

Por alguns meses os policiais monitoraram as atividades criminosas da organização. Os suspeitos faziam comércio de drogas, principalmente de crack, na localidade conhecida como “Morro da Formiga”. Durante as investigações os policiais flagraram diversas transações entre os traficantes e usuários de drogas. Após a confirmação do comércio ilegal, o Poder Judiciário decretou as prisões e mandados de busca e apreensão.

Divulgação/Polícia Civil

Durante as buscas foram apreendidas cerca de R$ 5 mil em dinheiro e drogas. Participaram desta operação mais de 70 policiais civis e militares das cidades de Braço do Norte, São Ludgero, Grão Pará, Rio Fortuna, Santa Rosa de Lima, Gravatal, Armazém, São Martinho, Tubarão, Jaguaruna. Cerca de 20 viaturas e o Serviço Aeropolicial da Polícia Civil (SAER) também foram utilizadas.

Divulgação/Polícia Civil

Notícias Relacionadas

Idoso capota carro sobre a Ponte Anita Garibaldi, em Laguna

Motorista de aproximadamente 80 anos estava sozinho quando perdeu o controle do veículo com placas de Braço do Norte.

DIC de Criciúma apreende 1,5 kg de maconha e munição de calibre restrito

Interessados em oferecer serviços de transportes com plataformas digitais têm 30 dias para se regularizar em Braço do Norte

Após 30 dias, aqueles que estiverem exercendo o transporte remunerado de passageiros e não estiverem regularizados estarão sujeitos às medidas estabelecidas na Lei Complementar 487/2019.

Homem rouba carro e prende motorista dentro de casa em Criciúma

O suspeito foi preso logo depois pela polícia militar