Geral

Orleans se despede do artista que elevou o nome da cidade

Zé Diabo, criador das Esculturas do Paredão, foi sepultado na manhã de hoje.

Orleans se despede do artista que elevou o nome da cidade

Foto: Ketully Beltrame / Sul in Foco

Das pessoas que contribuíram para que o nome de Orleans fosse comentado por pessoas país e mundo afora, sem dúvida, o artista José Fernandes, popularmente conhecido como Zé Diabo, é uma delas.

O responsável por um dos principais pontos turísticos da cidade e da região foi sepultado na manhã desta terça-feira (22). Durante os oito anos em que Zé Diabo trabalhou nas Esculturas do Paredão, o número de visitantes ultrapassou os 60 mil.

Ver de perto a confecção da obras interessava tanto as pessoas da região quanto aos moradores de outros estados e países. Além disso, o trabalho foi pauta de muitos veículos de comunicação, tais como a Rede Globo, com os programas Fantástico e Globo Repórter, e as revistas Veja e Manchete. A obra foi tema também de reportagem internacional.

A celebração realizada nesta manhã foi marcada por emoção e homenagens, não apenas pelos feitos como artista, mas também como pessoa. Familiares, amigos, autoridades locais e a população em geral reuniram-se no Cemitério Municipal São José para o último adeus. Ele faleceu durante a madrugada dessa segunda-feira (21), aos 87 anos, vítima de complicações cardíacas. Zé Diabo sofria também do mal de Alzheimer.

Orleans se despede do artista que elevou o nome da cidade

Foto: Ketully Beltrame / Sul in Foco

Reconhecimento

O padre Valmor Della Giustina enalteceu as obras sacras feitas pelo artista em igrejas da região. “Ele merece ser lembrado pela humildade e por ter levado a mensagem de Deus a tantas pessoas. É fácil caminhar por um caminho já percorrido. Difícil é abrir trilhas novas. E o Zé Diabo, um autodidata, teve a coragem de inovar e levar um sonho adiante”, afirmou.

O amigo de Zé Diabo, Luiz Carminati, contador e escritor orleanense, possui um grande acervo sobre a vida e os trabalhos realizados pelo artista. Na oportunidade, ele também fez uma homenagem. Carminati foi um dos responsáveis pelo projeto das Esculturas do Paredão sair do papel. Então radialista, trabalhava na Sociedade Rádio Guarujá de Orleans Ltda., no programa “Bom dia Amigo”.

No dia 22 de outubro de 1977 fez um anúncio expondo a intenção do artista. A ouvir, o Padre João Leonir Dall’Alba, então presidente da Fundação Educacional Barriga Verde – Febave, também se interessou pelo projeto. Com isso, foi dado o pontapé inicial. “Eu tive a graça de acompanha-lo por longos 40 anos. Acompanhei desde o início. Tive a alegria de receber das mãos dele dois presentes entalhados em pedra”, contou.

Representantes da Febave e da Escola de Educação Básica Cônego Santos Sprícigo também se pronunciaram e homenagearam José Fernandes. Alunos do 9º ano da Escola de Educação Básica Cônego Samuel Sandrini apresentaram uma peça teatral. Já o também artista orleanense, o músico Tony Cascaes, emocionou a todos os presentes ao interpretar a música Luar do Sertão, uma das preferidas de Zé Diabo.

Orleans se despede do artista que elevou o nome da cidade

Foto: Ketully Beltrame / Sul in Foco

Revitalização das Esculturas do Paredão

Em seus últimos dias de vida, José Fernandes estava feliz ao saber que uma de suas principais obras seria valorizada. Ele acompanhava de perto os trabalhos realizados no local, resultado da parceira entre a Administração Municipal e o Unibave. A inauguração está programada para o dia do aniversário de Orleans, em 30 de agosto, a partir das 13 horas. Familiares e a população foram convidados a participar.

“Vamos seguir em frente com o projeto em andamento. Nosso sonho sempre foi que aquela obra fosse revitalizada para ser registrada e levada para todos os cantos de Santa Catarina e do Brasil. Esse espírito não muda nada”, garantiu o prefeito Jorge Koch. A diretora da Febave, Edina Furlan Rampineli, seguiu na mesma linha. “O livro que ele tanto sonhou está pronto. Falta agora conseguirmos o recurso para publicar. Por isso e pelas obras revitalizadas, ele estava muito feliz. Dessa forma, contribuímos para eternizá-lo”, destacou ela.

Demais obras

Dentre outras obras do artista, destacam-se a pintura na Igreja Matriz Santa Otília, no centro de Orleans/SC; pintura na Igreja de São Miguel Arcângelo, na localidade de Invernada, Grão Pará/SC; obra na Igreja Matriz São Marcos de Nova Veneza/SC; escultura do busto do Papa João XXIII, na parede da Sede João XXIII, pertencente à Igreja Matriz Santa Otília de Orleans/SC; Esculturas do Paredão, em Orleans/SC; Pórtico Municipal de Orleans/SC; esculturas em cimento, na Igreja Santo Antônio de Pádua, em Sombrio/SC; técnicas de óleo sobre tela: Retrato de sua esposa Eunice (1985), Autorretrato Zé Diabo (1986), “A alcunha Zé Diabo” (1990), “Noite romântica” e entre outras obras realizadas.

Veja também:

Vida e obra de Zé Diabo, artista orleanense das esculturas e pinturas religiosas

Notícias Relacionadas

Colisão frontal termina em morte em Balneário Rincão

Ciclista morre após ser atropelado na SC-285, em Araranguá

Noite de Natal termina com duas mortes após colisão entre motos, em Grão Pará

Mulher encontrada morta em Balneário Arroio do Silva é identificada