Geral

Padaria muda nome de bolo de ‘nega maluca’ para ‘afrodescendente’

O fato ocorreu em São Paulo, após a padaria receber um oficio que destaca que os nomes são preconceituosos, racistas e machistas

Divulgação

Uma padaria em São Paulo resolveu mudar o nome de vários doces após receber um ofício do Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria do estado, que destaca que os nomes são preconceituosos, racistas e machistas.

A partir de agora, o nome do bolo de chocolate deixou de ser “nega maluca” e passou a ser “afrodescendente”, a “língua de sogra” agora será “pão doce mole”, “Maria Mole” passa a se chamar “sorvete mole” e “teta de nega”, “Nha Benta”.

Pelo Instagram, a padaria Aveiro afirmou que o estabelecimento “está sempre em constante evolução” e que “não há espaço para racismo, preconceito e muito menos machismo”.

No ofício, que foi enviado em 25 de agosto de 2021, é destacado que o mundo tem mudado constantemente e o nome de doces, que antes eram aceitos, não são mais bem vistos e podem causar “constrangimentos e acusações de crime racial, machismo e preconceito”. Por isso, é pedido para os associados tomarem cuidado com nomes que possam ser mal interpretados.

O documento foi alvo de críticas do presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo. Nesta quarta-feira (16), ele disse pelo Twitter que o sindicato está “perseguindo, implacavelmente, o bolo Nega Maluca. Também estão na mira da patrulha politicamente correta a Maria Mole, Teta de Nega e Língua de Sogra. Querem criminalizar bolos”.

Com informações do Diário de Pernambuco

Notícias Relacionadas

SC monitora varíola do macaco após 90 casos confirmados em ao menos 12 países

Até o momento, não há registros de casos de varíola dos macacos no Brasil; vírus é semelhante ao da varíola humana, inclusive nos sintomas

Dívida de R$ 2 mil motivou tiros contra sargento da PM em SC

Policial Militar foi vítima de uma tentativa de homicídio na madrugada do último sábado (21); quatro suspeitos foram presos

SC tem quase 100% de taxa de ocupação de leitos de UTI pediátricos e neonatais

Ocupação de leitos de UTI pediátricos chega a 97,9% no Estado; bebê de dois meses aguarda abertura de leito em hospital da Capital para realizar cirurgia

Barco vira e pescador é resgatado por helicóptero da Polícia Civil que fazia treinamento em SC

Resgate começou quando populares começaram a acenar para a tripulação. Vítima se chocou contra o barco.