Reflexão

Padre de Santa Catarina se encontra com Papa em Roma

Natural de Lauro Müller, Padre Antônio Madeira parabeniza o pontífice pela condução da Igreja e reafirma unidade com o líder católico.

Divulgação/Sulinfoco

“Um presente de Deus.” Assim, o padre Antônio Marcos Machado Madeira resume seu encontro com o Papa Francisco, no Vaticano. Natural de Lauro Müller, ele viajou pela primeira vez a Roma e teve a oportunidade de realizar um sonho: encontrar a autoridade máxima da Igreja.

Com dez anos de ministério sacerdotal, padre Madeira faz parte da Diocese de Criciúma e atua como reitor do Seminário Filosófico de Santa Catarina (SEFISC), em Brusque. Em viagem a Roma, acompanhado do bispo da Diocese de Criciúma, Dom Jacinto Inácio Flach, e um grupo de peregrinos, surgiu a oportunidade de conhecer o primeiro Papa latino-americano. “Lá no Vaticano, eles concedem alguns bilhetes para poder entrar e ficar mais perto para participar da audiência com o Papa. Ao chegar a Roma, fui me inteirar e tive a graça de encontrar um cartão de ingresso”, explica.

Madeira conta que o momento foi marcado por emoção e comunhão de espírito. “Acredito que todo batizado sonha um dia encontrar com a autoridade máxima da Santa Igreja. Viajamos pra Roma, mas não imaginava que teria essa oportunidade de encontrar o Papa. Fica evidente que, quando você vive para Deus, Ele se manifesta em sinais e me concedeu este maravilhoso presente”, comenta.

Frente a frente com o pontífice de 82 anos, o padre lauromüllense declarou, na língua portuguesa, sua admiração pelo Papa e reafirmou sua comunhão com o líder e com a Igreja. “Foi um momento singular. Conversei em português com ele e pude agradecê-lo pela condução e pastoreio da Igreja. Também reafirmamos nossa comunhão com suas iniciativas para manter a paz e a ordem entre todos”, afirma.

Para o reitor do SEFISC, o Papa Francisco representa a fé e a unidade, e o encontro com sua referência religiosa só fortaleceu seu chamado ao sacerdócio. “O mundo hoje está cheio de pessoas com muitos discursos, mas poucas obras. O Papa Francisco vive o que prega e é um grande exemplo para todos nós. Ele expressa a unidade, e como reitor do seminário, vimos que sem comunhão de espírito, a missão perde o sentido”, reflete o padre.

Divulgação/Sulinfoco

Notícias Relacionadas

Agências do Sine de Santa Catarina contam com quase 1,7 mil vagas de emprego abertas

A lista de oportunidades disponíveis pode ser acessada no aplicativo Sine Fácil, disponível para smartphones.

Vigário paroquial de Capivari de Baixo, padre Hilário Puziski, morre aos 79 anos

Unibave receberá mais de R$ 1 milhão do Governo de Santa Catarina para concessão de bolsas

Os recursos de bolsas do UNIEDU são assegurados pelo Governo do Estado de Santa Catarina e favorecem a inclusão de jovens no ensino superior com dificuldades de realizar os seus estudos.

Bispo revoga transferências em Araranguá e Cocal do Sul

O motivo, segundo comunicado, se deve aos cuidados com a saúde do padre Oscar Paulo Pietsch, que continua em tratamento do linfoma.