Geral

Padre Jadilson Tasca é ordenado em Treviso

A ordenação aconteceu na tarde deste sábado, 20 de julho, às 15 horas, na Igreja Matriz Santo Alexandre, em Treviso,

Divulgação

Na tarde deste sábado, 20 de julho, às 15 horas, a Igreja Matriz Santo Alexandre, em Treviso, acolheu fiéis de toda a Diocese de Criciúma por ocasião da missa com o rito de ordenação presbiteral do até então diácono Jadilson Tasca. Natural de Lauro Müller e filho da comunidade Nossa Senhora dos Campos, de Forquilha, interior de Treviso, o mais novo padre diocesano recebeu o sacramento diante de seus pais, Rosina e Hilário, familiares, padres, religiosas, leigos e leigas, pela imposição das mãos de Dom Jacinto Inacio Flach.

”É uma das grandes festas que nós celebramos, quando, alguém, na sua generosidade, se oferece para servir a Deus com toda a sua vida. Isso nos motiva a olhar as leituras de hoje. O Divino Oleiro, certamente já trabalhou em ti, Jadilson, durante todos esses anos de formação. Mas a graça de Deus continuará trabalhando, para cada vez mais sermos dele, para Ele e para o seu povo que nós servimos”, disse Dom Jacinto.

O vinho da missão

Com o lema de ordenação “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2,5), extraído do Evangelho que narra o primeiro milagre de Jesus nas Bodas de Caná, o jovem de 29 anos foi ordenado. “Uma grande missão tua vai ser ‘transformar a água em vinho’. Tanta água tem por aí, em nossos corações: já não tem cor e sabor, é algo que já não diz mais nada. Tantas pessoas já não sentem mais essa alegria do vinho novo que Cristo e sua Mãe querem nos oferecer. A missão do pastor é ir ao encontro dessas pessoas”, frisou o epíscopo.

Dom Jacinto falou da importância de uma Igreja acolhedora, misericordiosa com todos, a começar por aqueles que mais precisam, como pede o Papa Francisco. O bispo também ressaltou o “tríplice múnus” ao qual o padre é enviado a exercer seu ministério: o de ensinar – através da evangelização e da catequese; o de santificar – através dos sacramentos oferecidos ao povo de Deus; e o de governar – administrando e cuidando da paróquia que lhe é confiada, sendo também elo de união entre todos os serviços que a compõem. “Essas missões são muito importantes. Que tu nunca te esqueças e tenho certeza que as leituras que escolhestes estão de acordo com isso. Tenha sempre essa humildade no teu coração e que o Divino Oleiro possa te ajudar a cada vez mais ser moldado ao serviço e ao amor da sua Igreja”, pediu Dom Jacinto.

Momento de júbilo para a Paróquia

O bispo recordou sua passagem pela comunidade de origem de Jadilson, quando de sua despedida e manifestou sua alegria pelo mutirão vocacional realizado nesta semana nas comunidades e escolas do município, com a presença de seminaristas, padres, religiosas e agentes vocacionais. Dom Jacinto lembrou o ano jubilar vivenciado pela paróquia, que comemorou 50 anos de criação, a Missa do Crisma e esta Ordenação, que marcam também o ano. “Deus está enviando muitas bênçãos para esta Paróquia, na pessoa do padre Egídio e de todos os colaboradores. O padre sempre trabalha com pessoas que assessoram, auxiliam e servem a Igreja!”, destacou.

Ao final de sua homilia, Dom Jacinto deixou uma mensagem para aquele que, minutos depois, por imposição de suas mãos, se tornaria sacerdote: “Reze sempre muito, confie sempre em Deus. Não esqueças que a força nossa vem de Deus: não do nosso conhecimento, da nossa sabedoria; ela é importante, mas sem Deus, ela não é nada. Ela precisa da graça. Como diz São Paulo: ‘Sou o que sou pela graça de Deus’. Alegro-me muito, neste momento, contigo e com tua família, toda a tua comunidade e todas as pessoas que te conhecem e te querem bem e estão aqui. É festa da Igreja, das bênçãos do Senhor no meio de nós. Que Deus te abençoe e te guarde sempre no seu amor e na sua divina misericórdia”.

O rito da ordenação

Jadilson foi apresentando pelo reitor do Seminário Teológico Bom Pastor, de Florianópolis, padre José Aires de Souza Pereira. Seguindo o rito, após a homilia, o diácono fez o diálogo de compromisso e se prostrou diante do altar, durante a ladainha de todos os santos. O candidato foi ordenado presbítero com a imposição das mãos do bispo sobre sua cabeça e a oração consecratória. Em seguida, foi revestido com os paramentos sacerdotais, com auxílio de seus pais. Padre Jadilson teve as mãos ungidas com o óleo do Crisma e enlaçadas pelo Bispo; as mesmas foram desamarradas por seus pais, que receberam a primeira bênção do neo sacerdote. Em seguida, padre Jadilson recebeu o cálice e a patena.

Gratidão do novo padre

Ao final da missa, o novo padre proferiu sua mensagem de agradecimento. “’Bendito seja o Senhor de Israel, porque só Ele realiza maravilhas!’ (Sl 72,18). Irmãos e irmãs, nesta hora, um enorme sentimento de júbilo inunda meu coração e minha alma rejubila de alegria! Foi a bondade do Senhor que me trouxe até aqui: Ele lançou sobre mim seu olhar de amor, me seduziu, me chamou e me consagrou para um ministério santo e eterno! Diante desse grande dom divino que é o presbiterado, que hoje recebi, resta-me agradecer ao Altíssimo e Bom Senhor, e louvá-Lo pelo dom de minha vocação. Tenho consciência, Senhor, de que sou um vaso frágil, embora grande, mas confio na vossa graça. Obrigado pela Tua presença constante em todos os momentos de minha formação. Daqui para sempre, compete a mim fazer o firme propósito de viver o meu ministério sacerdotal na fidelidade a Deus e na doação aos irmãos e irmãs, para que, em tudo, Ele seja glorificado”.

Padre Jadilson agradeceu ao bispo, clero, formadores, reitores e orientadores espirituais que contribuíram com sua formação. Agradeceu seminaristas, vocacionados, religiosos e religiosas que contribuíram com a semana vocacional ali vivenciada. Manifestou gratidão às comunidades e paróquias por onde realizou seus estágios e as instituições onde fez seus estudos; grupos de pastorais e movimentos, Pastoral Vocacional diocesana.

O neo sacerdote agradeceu, de modo especial, àqueles que foram fundamentais em sua vocação. “Aos meus pais, seu Hilário e dona Rosina, em vocês encontrei o amor necessário para reconhecer o quanto também Deus me ama. Obrigado por serem bons pais. Com vocês, aprendi os valores cristãos, que também serão exercidos em meu ministério. Sei das dificuldades, saudades, medos e preocupações comigo nesta caminhada, mas vocês, como grandes promotores vocacionais, sempre me incentivaram a seguir firme em minha vocação. Quero agradecer também à pessoa que foi fundamental nesta caminhada, alguém com que sorri e chorei, que me conhece e sabe quando estou triste e alegre. Muito obrigado, Lourdes, por despertar em mim esta vocação que de Deus recebi! Se hoje sou alguém mais feliz e realizado, é porque foste como um anjo em minha vida. Finalmente, agradeço com muito carinho a minha paróquia de origem e que hoje vos acolhe. Muitas pessoas, muitas mãos se doaram e contribuíram para que hoje esse sonho se tornasse realidade. Os seus nomes estão todos nesta talha junto a Nossa Senhora. Deus sabe de todos aqueles que contribuíram, rezaram, se dedicaram para este momento. Que o nosso amado Deus abençoe a todos!”, disse.

Colaboração: Comunicação Diocese de Criciúma 

Notícias Relacionadas

Vigário paroquial de Capivari de Baixo, padre Hilário Puziski, morre aos 79 anos

Após oito anos, Conseg é reativado em Treviso

Membros da Diretoria Provisória foram apresentados em ato realizado na noite desta quarta-feira (17), no Auditório Vilson Savaris, centro da cidade, com a presença de lideranças municipais e comunitárias.

Bispo presidirá missa na Casa do Egresso

Bispo revoga transferências em Araranguá e Cocal do Sul

O motivo, segundo comunicado, se deve aos cuidados com a saúde do padre Oscar Paulo Pietsch, que continua em tratamento do linfoma.