Geral

Para prevenir catástrofes: Plano Municipal de Contingência é apresentado em Imbituba

O decreto, que será assinado nos próximos dias, irá antecipar as ações dos órgãos municipais e de Segurança Pública, em casos de fenômenos naturais e situações emergenciais, tais como, deslizamentos, alagamentos, vendavais, entre outros.

Divulgação/Prefeitura de Imbituba

Em uma reunião, realizada na tarde desta terça-feira (4), na sede da Prefeitura de Imbituba, a Defesa Civil local apresentou o Plano de Contingência Municipal que será implantado na Capital Nacional da Baleia Franca.

O decreto, que será assinado nos próximos dias, irá antecipar as ações dos órgãos municipais e de Segurança Pública, em casos de fenômenos naturais e situações emergenciais, tais como, deslizamentos, alagamentos, vendavais, entre outros.

Além de prevenir as ações, o plano também irá orientar o trabalho das equipes após a ocorrência de um desastre natural. Segundo o Coordenador da Defesa Civil Municipal, Moisés Carvalho, o regulamento envolverá todas as secretarias de Imbituba.

“Se um fenômeno natural atingir a população, a Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (SEDUCE) irá organizar as escolas e ginásios para alojar as pessoas. A Assistência Social ficará responsável pelo atendimento às famílias e a Secretaria de Saúde fornecerá os medicamentos e os atendimentos médicos. Todos terão um papel fundamental”, disse o coordenador municipal, Moisés Carvalho.

Divulgação/Prefeitura de Imbituba

O encontro reuniu, na sede da prefeitura, representantes do Poder Executivo Municipal, das Defesas Civis, municipal e regional, um representante da presidência da Câmara (Vereador Eduardo Faustina da Rosa), o Comandante da Polícia Militar, Tenente-coronel Daniel Nunes, o Comandante do Corpo de Bombeiros, Capitão André Correia de Araújo , bem como, a imprensa local.

Por ser, o Corpo de Bombeiros, um dos principais atores nas ações que envolvem a gestão de crise, o Comandante Araújo disse que a criação do decreto é importante para a redução dos riscos. “Muitas vezes, as pessoas acabam não sabendo da ocorrência ou são comunicadas quando a situação já é grave. Por isso, saber o que fazer tem uma importância fundamental no trabalho e no atendimento às vítimas”, reiterou o Capitão Araújo.

Divulgação/Prefeitura de Imbituba

Para o Tenente-coronel, Daniel Nunes, com ao Plano de Contingência, o município estará se antecipando aos eventos críticos que possam acontecer. “A partir de agora, haverá uma coordenação de órgãos para a resolução de crises. É fundamental que estejamos preparados, por isso, Imbituba deu passo muito a frente”, enfatizou o Tenente-coronel, Daniel Nunes.

Durante a reunião, o Prefeito de Imbituba, Rosenvaldo da Silva Júnior, falou da importância de alinhar as ações com os órgãos que atuam em situações de crise.

“No momento de uma calamidade natural ou de alguma outra intercorrência que afete o município e as pessoas, nós estaremos preparados. Com isso, daremos a resposta de maneira mais rápida, mais adequada e minimizaremos os prejuízos aos moradores de Imbituba”, disse o prefeito.

Divulgação/Prefeitura de Imbituba

Notícias Relacionadas

Amurel recomenda que municípios adotem nova quarentena por causa da Covid-19

Associação dos Municípios da Região de Laguna (Amurel) contempla 18 prefeituras. A situação da região é considerada gravíssima pelo governo de Santa Catarina em relação à doença.

Correntista de Imbituba receberá com juros e correção valor retirado da conta sem sua autorização

Sem seu conhecimento e autorização, em janeiro de 2015, R$ 19 mil foram transferidos de seu domínio para a conta de outra pessoa.

Lei aprovada em Imbituba irá oficializar o programa que beneficia idosos

O Diretor Municipal de Esportes de Imbituba, Norton Evaldt, defendeu, nos últimos dias, na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara de Vereadores, o Projeto de Lei que torna oficial o programa “Comunidade Ativa”.

MPF pede demolição de pousada construída irregularmente na Praia do Luz, em Imbituba

Pela edificação de pousada em faixa de praia, em área de preservação permanente, são responsabilizados dois proprietários, o município e a União