Economia

Parque Tecnológico de Capivari de Baixo é apresentado

O investimento no primeiro ano está previsto em R$ 800 mil e, ao fim de 15 anos, ultrapassará R$ 102 milhões.

Foi apresentado oficialmente o projeto do Parque Tecnológico de Capivari de Baixo, o Parqtec, ocasião em que estiveram presentes cerca de 450 pessoas. O 1º Seminário de Tecnologia e Inovação ocorreu no Centro de Cultura e Sustentabilidade do Parque Ambiental Tractebel.

O presidente da Companhia de Desenvolvimento do Estado de Santa Catarina – Codesc, Miguel Ximenes de Melo Filho, destaca que a implantação de parques tecnológicos em todas as regiões do Estado é uma política do governo estadual.

“Quando fui prefeito de Tubarão, Capivari era nosso bairro industrial, onde meu pai dava aulas no Senai. Todos sabem que tenho laços e carinho fortes pela região. Não tenho a menor dúvida que o município será outro a partir do começo da implantação do parque, com muitas e boas transformações, tal qual aconteceram nos municípios que já estão mais avançados neste mesmo processo”, disse.

O idealizador e coordenador do evento, engenheiro Atamir Brunel Alves, ressalta que a busca pelo desenvolvimento com foco na tecnologia e na inovação não é opção, mas necessidade. “Não é uma escolha, é uma necessidade que temos, de focar nosso desenvolvimento na tecnologia e na inovação. 

Toda esta área que o projeto prevê ocupar nas décadas de 40 e 50 serviu para fabricação de aço, que na época era uma tecnologia de ponta. Hoje, sabemos que não é mais, mas esta mesma área vai poder abrigar o parque tecnológico, que trará muito mais desenvolvimento econômico e social, com sustentabilidade”, destacou.

O prefeito Moacir Rabelo salienta que a concepção do projeto e as tratativas com as autoridades e técnicos envolvidos começaram há anos. “As crises são cíclicas. Não duram para sempre. E se quisermos enfrentá-las, não será cruzando os braços e esperando que façam as coisas por nós. Este projeto não é um presente, é um rumo, e precisamos aproveitá-lo da melhor maneira possível”, disse. 

O evento foi promovido pelo município, em parceria com a Codesc e Area-TB, com apoio da Unisul, Unesc, Satc, Fucap, Senai, Senac, Libremac, FTC, Engie Tractebel Energia, Colégio Otto Feuerschuette e Crea-SC.

O projeto

A responsável pelo projeto, a coordenadora de projetos da Fundação Certi Maria Goretti Hoffmann, foi quem apresentou aspectos do projeto do Parqtec. O projeto prevê a utilização de duas áreas pertencentes à prefeitura, uma de propriedade da Tractebel Energia e duas pertencentes à Companhia Siderúrgica Nacional – CSN, num total de mais de 42 hectares de terra.

A área será dividida em 90 lotes e a ocupação deverá se dar em fases, respeitando o amadurecimento e crescimento natural do empreendimento, previsto para iniciar em 2017 e estar totalmente implantado em 2032. O investimento no primeiro ano está previsto em R$ 800 mil e ao final de 15 anos ultrapassará R$ 102 milhões.

O início dar-se-á pelas duas áreas públicas e, posteriormente, com a parceria da Tractebel e CSN, a utilização das áreas pertencentes a estas duas empresas, áreas que se encontram improdutivas desde as décadas de 80 e 90.

Com informações do Jornal Diário do Sul

  • 37d3e543bb62d0290d78255f273aa5b9
  • 8995619a068d9a46bff166dfc42cf3a9