Saúde

Pedido de suspensão de Pfizer para SC gera polêmica diante de desabastecimento de cidades

Joinville, Blumenau e Xanxerê paralisaram a aplicação do imunizante por falta de doses enquanto governo de SC solicitou o cancelamento do envio de novas doses à União

Divulgação

A distribuição da Pfizer enfrenta uma polêmica em Santa Catarina. O pedido de suspensão temporária para o envio de novas doses pelo Estado ao Ministério da Saúde, contrasta com a situação que vivem alguns municípios como Joinville, Blumenau e Xanxerê. Nas cidades há a vacinação com o imunizante está paralisada após os estoques serem zerados.

O Estado decidiu suspender temporariamente o pedido para o envio da Pfizer pelo Ministério da Saúde. A decisão, segundo o Estado, acontece pelo grande número de doses armazenadas pela Secretaria de Estado da Saúde (SES).

As prefeituras de Blumenau e Joinville justificam que a falta do imunizante se deu após a diminuição do intervalo entre a segunda dose e o reforço. Isso gerou aumento na procura pela vacina. Ambos municípios disseram já ter solicitado novas doses ao Estado. A previsão é que a entrega aconteça ainda nesta semana.

Já Xanxerê vive uma situação diferente. O município não começou a aplicar a dose de reforço com intervalo de quatro meses. Segundo a prefeitura, isso só deve acontecer em janeiro, porque não há doses suficientes. Uma remessa da Pfizer é aguardada para quinta-feira (23) e deve ser usada na imunização de adultos e adolescentes.

Em Florianópolis, Lages, Criciúma e Chapecó, há estoque do imunizante. Na maior cidade do Oeste, são 3 mil doses armazenadas e a expectativa é que mais 4 mil sejam enviadas até o fim da semana.

Em entrevista, o diretor de Vigilância Epidemiológica no Governo do Estado (DIVE-SC), Eduardo Macário, justificou a suspensão temporária alegando que o estoque estadual está cheio. Segundo ele, são 604 mil vacinas armazenadas na Rede Estadual de Frio.

— Não foi uma paralisação, mas sim nós suspendemos temporariamente o pedido de novas doses ao Ministério da Saúde porque nós estamos totalmente abastecidos até o final do mês — disse Macário.

Ele reconheceu que a mudança no intervalo da dose provocou uma demanda maior por vacinas. Em caso de necessidade, disse Macário, a possibilidade de pedir mais doses ao Ministério da Saúde.

— Vários municípios solicitaram doses a mais para justamente cobrir essa população. Estamos aguardando para na eventualidade fazermos a solicitações ao Ministério da Saúde, que se colocou disponível — afirmou.

SES vai mandar mais vacinas do estoque

Em nota, a SES informou que as vacinas contra a Covid são distribuidas semanalmente aos municípios. A última distribuição ocorreu na terça-feira (21) totalizando 61.657 doses para aplicação de D1, D2 e DR.

Nesta quarta, segundo a SES, serão distribuidas 83.178 doses para aplicação de D1, D2 e DR atendendo todas as solicitações recebidas. Uma nova distribuição está marcada para a próxima terça-feira (28).

“Considerando que o Estado conta com vacinas armazenadas na Central Estadual da Rede de Frio, existe quantitativo suficiente para atender às solicitações das Secretarias Municipais de Saúde, mesmo com a redução do intervalo da aplicação da dose de reforço. Entretanto, permanece o acompanhamento diário dos estoques e, tão logo seja necessário, o Estado solicitará a retomada dos envios por parte do Ministério da Saúde”, disse a SES em nota.

11 estados também suspenderam

Além de Santa Catarina, outros 11 estados e o Distrito Federal também pediram a suspensão temporária do envio de doses. São eles: Amazonas, Acre, Tocantins, Piauí, Bahia, Sergipe, Paraíba, Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Mato Grosso.

A vacina da Pfizer é usada atualmente na vacinação contra Covid-19 para adultos, adolescentes e como dose de reforço. Na última semana, o fabricante recebeu autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para ser aplicada também em crianças de 5 a 11 anos.

Esse imunizante precisa ser armazenado em uma temperatura controlada entre 2ºC e 8ºC e tem validade de até 30 dias.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Ex-prefeito de Criciúma é preso após perseguição policial

Márcio Burigo, posteriormente identificado, desobedeceu a ordem legal dos policiais e se evadiu por cerca de dois quilômetros

Filezão: diversos celulares são furtados durante o evento; organizador é notificado por conta da aglomeração

O evento reuniu milhares de pessoas.

Rayssa Leal e Lucas Rabelo são os campeões da etapa de Criciúma do STU National

Maranhense e cearense largam na frente no circuito brasileiro 2022, iniciando o ano como terminaram 2021: com título

Três mulheres ficam feridas em acidente no centro de Cocal do Sul

O acidente aconteceu na rua Edson Gaidzinski