Segurança

Polícia Civil de Criciúma finaliza investigação de roubo e suspeito tem prisão preventiva decretada

O roubo teria ocorrido em outubro deste ano, no bairro Nossa Senhora da Salete em Criciúma

Divulgação

A Divisão de Repressão à Roubos da Polícia Civil de Criciúma (DRR/DIC-PCSC), coordenada pelo Delegado Yuri Miqueluzzi, finalizou investigação de roubo ocorrido em outubro, no bairro Nossa Senhora da Salete em Criciúma.

O autor do crime simulou estar com arma de fogo e roubou dois celulares das vítimas. Em rondas, algumas horas depois, a Polícia Militar localizou um suspeito com as mesmas características. Ele dirigia um automóvel indicado pelas vítimas como utilizado no roubo. Na abordagem, foram identificados sinais de embriaguez. O homem foi conduzido à Delegacia, onde foi autuado em flagrante pelo crime de embriaguez ao volante.

Com relação ao roubo, foi instaurado inquérito policial para apuração. Ao final, foi constatado elementos de que o homem de 31 anos realizou o roubo, sendo indiciado pelo crime. O suspeito teve sua prisão preventiva decretada e aguarda julgamento recolhido no Presídio.

Atua no caso a 13ª Promotoria de Justiça de Criciúma. A ação tramita na 1ª Vara Criminal. A apuração contou com participação da Polícia Militar, 1ª Delegacia de Polícia e CRPP de Criciúma.

Notícias Relacionadas

Homem é executado com tiro na cabeça em Balneário Arroio do Silva

O corpo do homem foi encontrado pela irmã e pelo cunhado por volta das 19h de hoje (6)

Caminhoneiro segue 32 km com motociclista preso à cabine após acidente de trânsito; VEJA OS VÍDEOS

O motociclista conseguiu se segurar na cabine do caminhão e permaneceu agarrado do lado de fora da cabine por cerca de 32 km sem o caminhoneiro parar

Governo define valores do auxílio emergencial e deve pagar até R$ 375

Mulheres que chefiam famílias ganharão esse montante, enquanto homens que bancam o lar terão R$ 175. A maioria receberá R$ 250

Conmebol suspende eliminatória sul-americana que seria no fim de março

Restrição de viagens de atletas que atuam na Europa motivou decisão