Segurança

Polícia Civil prende organização criminosa por diversos roubos em Criciúma e latrocínio em Morro da Fumaça

Nesta terça-feira, dia 4, quatro pessoas foram presas e drogas, dinheiro e celulares foram apreendidos.

Polícia Civil prende organização criminosa por diversos roubos em Criciúma e latrocínio em Morro da Fumaça

Foto: Ketully Beltrame / Sul in Foco

A Polícia Civil, através da Delegacia de Polícia de Morro da Fumaça e da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Criciúma, prendeu os integrantes de uma organização criminosa que praticou latrocínio de Clayton Moreira da Silva em Morro da Fumaça, latrocínio tentado em Içara e diversos roubos na região. Os detalhes da investigação foram informações durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira, dia 5.

O latrocínio ocorreu às 22h30min do dia 26 de abril, em Morro da Fumaça. Segundo informações, três indivíduos, em um Renault Clio branco, anunciaram o assalto para subtrair um Volkswagen Jetta, de cor branca. A vítima teria entrado no veículo com medo, quando foi alvejada por um disparo de arma de fogo, andando alguns metros com o automóvel e batendo em uma casa na sequência. Os criminosos fugiram do local. A Polícia Civil, através de policiais civis de Morro da Fumaça, Urussanga, DIC e Central Regional de Plantão Policial, deu início às investigações.

Segundo o agente da DRR/DIC de Criciúma e responsável pelo plantão de local de crime, pelo menos três indivíduos estariam praticando roubos na região utilizando um veículo Clio branco. As investigações indicavam que o mesmo veículo foi utilizado nos roubos em Criciúma e no latrocínio em Morro da Fumaça. Ainda na noite do latrocínio, a esposa de um dos suspeitos acionou a Polícia Militar, dizendo que teria sido vítima de um sequestro relâmpago, ficando das 19h às 23h no porta-malas do Clio branco, quando foi liberada. A história carecia de credibilidade.

A PCSC, em parceria com a PMSC, constatou diversas contradições nas declarações da mulher, tendo sequer ligado para o companheiro depois do crime. Não soube fornecer muitas informações, apenas disse que saiu de casa para ir comprar comida numa lanchonete. Realizado o trajeto indicado por ela aos investigadores, foi verificado em câmeras que o sequestro relâmpago não existiu. Constatado ainda que todos os objetos, inclusive bolsa, documentos, cartões e dinheiro estavam na sua casa, confirmando a inveracidade do sequestro para tentar manipular as investigações.

Também foi descoberto o paradeiro do suspeito M. J., de 30 anos. Os policiais foram ao local e efetuaram a prisão. Ele indicou onde estava o veículo Renault Clio, afirmando também onde dispensou seu telefone celular. Foi autuado em flagrante pelo delegado Márcio Campos Neves por participação em latrocínio consumado, sendo prosseguidas as diligências para identificação dos demais suspeitos.

Desde a manhã de terça-feira, dia 27, a DP de Morro da Fumaça e a DIC de Criciúma empreenderam esforços para buscar provas de autoria do latrocínio e de outros dois roubos praticados em Criciúma. Também passou a ser apurada uma tentativa de latrocínio em Içara, no mesmo 26 de abril, quando o grupo tentou roubar outro veículo na BR-101. Como a família no carro não parou, efetuaram disparos. Um projétil ficou alojado no veículo das vítimas e foi apreendido pela Central de Polícia de Araranguá, onde o boletim foi registrado. Os projéteis dos crimes em Morro da Fumaça e Içara serão periciados pelo IGP para fins de comparação balística e eventual confirmação dos crimes pelos mesmos autores.

Através de minuciosa perícia no veículo Clio, utilizado como carro de apoio no latrocínio, o IGP coletou vestígios relevantes que corroboram com os suspeitos identificados pelas investigações. Diante disso, a PC requereu ao Poder Judiciário de Urussanga, através do magistrado Roque Lopedote, com aval do promotor de Justiça Elias Albino, três mandados de prisão temporária e seis mandados de busca e apreensão na residência de dois suspeitos e em residências dos possíveis fornecedores de armas. A DIC de Criciúma também representou por mandados de prisões preventivas dos investigados e buscas domiciliares, deferidos pelo magistrado Guilherme Costa Cesconetto, com aval da promotora de Justiça Andréa Tonin.

Na tarde desta terça-feira, dia 4, a PCSC, com apoio de policiais militares da GR/9 (9 BPM, de Criciúma), do SAER e do NOC/K9 da DRP de Criciúma, cumpriram as decisões no bairro Renascer em Criciúma. Foram presos preventivamente e temporariamente D. C. Z. L., 22 anos, e A. W. M. A., 23 anos, suspeitos de autoria nos roubos e latrocínio. Ainda foi presa temporariamente G. K. G. S. D., de 35 anos, pela participação no conluio ao simular falso sequestro. Foram apreendidas drogas, dinheiro e celulares, resultando na prisão em flagrante de  R. L. C. J., de 28 anos, por tráfico de drogas.

Da coletiva, participaram os delegados de Polícia Civil de Urussanga, Ulisses Gabriel e Márcio Neves e o delegado de Polícia Civil da DRR/DIC Criciúma, Yuri Miqueluzzi, além de agentes de Polícia Civil e do IGP.

Notícias Relacionadas

Morador é executado com cinco tiros em Criciúma

Segundo informações, a vítima saiu recentemente do presídio e possui passagens por pedofilia e estupro de vulnerável.

Polícia Civil apresenta dados positivos na repressão de roubos em Criciúma com prisões realizadas e criminosos identificados

Comparado com 2018, os dados indicam redução de roubos com uso de arma de fogo, roubos em residência e roubos com mais de três autores, com estabilização da quantidade de roubos gerais.

Revólver, munições e droga são encontrados durante blitz realizada pela PMRv de Içara

Polícia Civil cumpre mandados contra suspeitos de latrocínio em Sombrio