Segurança

Polícia descarta atentado no Colegião em Criciúma: “É blefe”, diz delegado

Em áudio que circula no WhatsApp, homem diz que vai fazer um ataque ao colégio

Fotos: Heitor Araújo/4oito

Um áudio circula no WhatsApp no qual uma pessoa não identificada ameaça promover um ataque ao Colégio Sebastião Toledo dos Santos, em Criciúma. E inclusive cita data: seria na próxima sexta-feira (2). Pais de alunos, preocupados, procuraram a direção do colégio que tomou conhecimento do conteúdo da ameaça nesta terça-feira (30). A inteligência da Polícia Civil apurou o assunto com apoio da Polícia Militar (PM).

O áudio, de cerca de trinta segundos, foi enviado por um homem, aparentemente para outra pessoa divulgar a ameaça, com o seguinte conteúdo:

“Mandar um recado pra ti, que tu passe pra tudo que é rede social. Quero mandar uma mensagem ‘pro’ pessoal do Colegião, que nessa sexta-feira, dia dois de agosto, eu vou entrar no colégio e vou fazer um massacre, vou matar todo mundo”.

Nesta terça a secretaria da escola soube do áudio através do telefonema de uma mãe de uma aluna, preocupada. Em seguida, várias mães compareceram no Colegião para mostrar o áudio. A diretora foi até a delegacia para tratar do assunto. “Esse áudio disseminou aqui no colégio. Tudo indica que é um blefe, uma farsa. Não é o perfil de quem comete esse tipo de crime de avisar que vai cometer o crime”, disse o delegado André Milanese, da Divisão de Investigação Criminal (DIC), que foi até o Colegião.

De pronto, o delegado descartou a hipótese de ocorrer o atentado. “Conversamos com a diretora, levantamos possibilidades, se havia algum ex-aluno descontente. Ela disse que não. Daí recebemos um novo áudio, encaminhado por vários grupos, com a mesma voz dessa pessoa dizendo que era brincadeira, para parar de reencaminhar, que daria problema para ele. Não se passa de uma brincadeira de mau gosto”, revelou.

Fotos: Heitor Araújo/4oito

O delegado afirmou que os pais devem encaminhar seus filhos para a escola sem problemas. “O recado que a gente passa aos pais é que tragam os alunos, o colégio é seguro, a Polícia Militar vai fazer uma ronda reforçada para garantir a segurança dos pais. A cidade não pode parar de viver por uma brincadeira sem graça. A gente pede que os alunos não deixem de vir”, destacou.

Outro dado apurado pela equipe da DIC é que o autor da brincadeira não deve ser de Criciúma. “Tudo indica que seria de fora da cidade, que não seria daqui. Possivelmente não é um aluno, é alguém de fora fazendo uma brincadeira. Se insistir essa pessoa pode incorrer em falsa comunicação de crime, fazendo a polícia trabalhar com base em denúncia falsa”, afirmou.

A diretora do Colegião, Juraci Brocca, tomou as providências e reforçou que recebeu a retratação do autor do áudio. “O áudio foi encaminhado para a gente por uma mãe de aluna. Quando tomamos conhecimento fomos à Polícia Civil, entramos em contato com a Polícia Militar, eles prontamente nos atenderam, vieram na escola. A PM vai ficar conosco até sexta-feira”, enfatizou. “A polícia está investigando e esperamos que confirme que se trata de uma brincadeira”, reforçou.

As aulas estão confirmadas para sexta-feira.

Fotos: Heitor Araújo/4oito

Com informações do 4Oito

Notícias Relacionadas

Secretaria de Saúde de Criciúma reforça chamado de gestantes, puérperas e crianças para vacinação contra influenza

Agentes Comunitários de Saúde visitarão as residências para monitoramento e intensificação de informações por causa da baixa adesão à campanha nacional

Rever: aplicativo que contribui para a coleta seletiva já tem grande demanda de usuários em Criciúma

Plataforma digital auxilia nas denúncias de irregularidades e solicitações para coletas

Morador é executado com cinco tiros em Criciúma

Segundo informações, a vítima saiu recentemente do presídio e possui passagens por pedofilia e estupro de vulnerável.

Polícia Civil apresenta dados positivos na repressão de roubos em Criciúma com prisões realizadas e criminosos identificados

Comparado com 2018, os dados indicam redução de roubos com uso de arma de fogo, roubos em residência e roubos com mais de três autores, com estabilização da quantidade de roubos gerais.