Segurança

Polícia descarta atentado no Colegião em Criciúma: “É blefe”, diz delegado

Em áudio que circula no WhatsApp, homem diz que vai fazer um ataque ao colégio

Fotos: Heitor Araújo/4oito

Um áudio circula no WhatsApp no qual uma pessoa não identificada ameaça promover um ataque ao Colégio Sebastião Toledo dos Santos, em Criciúma. E inclusive cita data: seria na próxima sexta-feira (2). Pais de alunos, preocupados, procuraram a direção do colégio que tomou conhecimento do conteúdo da ameaça nesta terça-feira (30). A inteligência da Polícia Civil apurou o assunto com apoio da Polícia Militar (PM).

O áudio, de cerca de trinta segundos, foi enviado por um homem, aparentemente para outra pessoa divulgar a ameaça, com o seguinte conteúdo:

“Mandar um recado pra ti, que tu passe pra tudo que é rede social. Quero mandar uma mensagem ‘pro’ pessoal do Colegião, que nessa sexta-feira, dia dois de agosto, eu vou entrar no colégio e vou fazer um massacre, vou matar todo mundo”.

Nesta terça a secretaria da escola soube do áudio através do telefonema de uma mãe de uma aluna, preocupada. Em seguida, várias mães compareceram no Colegião para mostrar o áudio. A diretora foi até a delegacia para tratar do assunto. “Esse áudio disseminou aqui no colégio. Tudo indica que é um blefe, uma farsa. Não é o perfil de quem comete esse tipo de crime de avisar que vai cometer o crime”, disse o delegado André Milanese, da Divisão de Investigação Criminal (DIC), que foi até o Colegião.

De pronto, o delegado descartou a hipótese de ocorrer o atentado. “Conversamos com a diretora, levantamos possibilidades, se havia algum ex-aluno descontente. Ela disse que não. Daí recebemos um novo áudio, encaminhado por vários grupos, com a mesma voz dessa pessoa dizendo que era brincadeira, para parar de reencaminhar, que daria problema para ele. Não se passa de uma brincadeira de mau gosto”, revelou.

Fotos: Heitor Araújo/4oito

O delegado afirmou que os pais devem encaminhar seus filhos para a escola sem problemas. “O recado que a gente passa aos pais é que tragam os alunos, o colégio é seguro, a Polícia Militar vai fazer uma ronda reforçada para garantir a segurança dos pais. A cidade não pode parar de viver por uma brincadeira sem graça. A gente pede que os alunos não deixem de vir”, destacou.

Outro dado apurado pela equipe da DIC é que o autor da brincadeira não deve ser de Criciúma. “Tudo indica que seria de fora da cidade, que não seria daqui. Possivelmente não é um aluno, é alguém de fora fazendo uma brincadeira. Se insistir essa pessoa pode incorrer em falsa comunicação de crime, fazendo a polícia trabalhar com base em denúncia falsa”, afirmou.

A diretora do Colegião, Juraci Brocca, tomou as providências e reforçou que recebeu a retratação do autor do áudio. “O áudio foi encaminhado para a gente por uma mãe de aluna. Quando tomamos conhecimento fomos à Polícia Civil, entramos em contato com a Polícia Militar, eles prontamente nos atenderam, vieram na escola. A PM vai ficar conosco até sexta-feira”, enfatizou. “A polícia está investigando e esperamos que confirme que se trata de uma brincadeira”, reforçou.

As aulas estão confirmadas para sexta-feira.

Fotos: Heitor Araújo/4oito

Com informações do 4Oito

Notícias Relacionadas

Quatro adolescentes criam startup para fiscalizar os poderes de Criciúma

O objetivo dos jovens é reunir informações dos poderes Legislativo e Executivo do município de Criciúma em uma plataforma mais acessível.

Tribunal de Justiça catarinense confirma pena para empresário que vendeu pipoca com rato dentro em Criciúma

Uma das vítimas, após ingerir a pipoca, teve intoxicação alimentar aguda causada por alimento contaminado.

Mais de 5,7 mil crianças comparecem na 1ª etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo em Criciúma

Número superou a expectativa da Secretaria Municipal de Saúde. Segunda etapa inicia dia 18 de novembro, com foco em adultos de 20 a 29 anos

Rever: aplicativo que contribui para a coleta seletiva já tem grande demanda de usuários em Criciúma

Plataforma digital auxilia nas denúncias de irregularidades e solicitações para coletas