Geral

Polícia Militar irá auxiliar na defesa agropecuária de Santa Catarina

O secretário da Agricultura, Ricardo de Gouvêa, e o presidente do Colegiado de Segurança Pública, coronel Araújo Gomes, deram início à construção do projeto nesta segunda-feira (11).

Foto: Divulgação

Uma parceria entre as Secretarias de Estado da Agricultura e da Segurança Pública pode garantir a participação da Polícia Militar nas ações de defesa agropecuária em Santa Catarina. A intenção é unir esforços para garantir a sanidade animal e vegetal no estado. O secretário da Agricultura, Ricardo de Gouvêa, e o presidente do Colegiado de Segurança Pública, coronel Araújo Gomes, deram início à construção do projeto nesta segunda-feira (11).

“Nós temos muito interesse em trabalhar junto com a Polícia Militar para reforçar a defesa agropecuária em Santa Catarina. A principal linha de ação seria na fiscalização de estradas e fronteiras”, explica Ricardo de Gouvêa.

O auxílio da Polícia Militar virá em um momento estratégico. Santa Catarina se mantém há 19 anos como único estado brasileiro que não vacina seus rebanhos contra a febre aftosa, situação que deve mudar a partir deste ano, quando outros estados também suspenderão a vacinação. Os riscos de uma contaminação preocupam o Governo catarinense e demandam uma atenção ainda maior da defesa agropecuária.

A parceria entre Polícia Militar e Secretaria da Agricultura possibilitaria, por exemplo, a utilização das câmeras de identificação de placas (câmeras OCR) e a abordagem de veículos suspeitos para cobrança da Guia de Trânsito Animal (GTA). Segundo o coronel Araújo Gomes, os policiais devem receber um treinamento para que possam intervir e reforçar os trabalhos de defesa agropecuária, utilizando principalmente a tecnologia.

Ainda este mês um novo encontro entre as áreas de inteligência da Polícia Militar e técnicos da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) dará sequência às tratativas para operacionalizar a ação conjunta.

Boto pescador

Polícia Militar e Secretaria da Agricultura trabalharão juntas também para a preservação do boto pescador e no combate à pesca ilegal. Nos últimos anos, botos residentes do Complexo Lagunar Sul em Laguna foram vítimas das redes de emalhe, utilizadas de forma ilegal na região. “O caminho é a educação da comunidade e intensificar as fiscalizações”, ressalta o coronel Araújo Gomes.

Colaboração: Comunicação Secretaria da Agricultura e da Pesca de Santa Catarina

Notícias Relacionadas

Colisão frontal deixa dois em estado grave na SC-108, entre Orleans e Urussanga

Um dos motoristas ficou preso às ferragens e teve o carro cortado para ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros.

Proprietário de lavação é preso por tráfico de drogas em Orleans

Na delegacia, o acusado confirmou que entregou 15 gramas de crack para o usuário em troca de um Fiat Uno com problemas mecânicos.

Corpo é encontrado carbonizado dentro de carro em Criciúma

Suspeito de furto sobrevive ao cair de telhado de empresa em Tubarão

Vítima foi encontrada pelo proprietário da empresa. Segundo informações, indivíduo estava com hálito alcoólico.