Educação

Pós-Graduação da Esucri lança curso de Enfermagem em Obstetrícia

Aulas iniciam ainda neste mês com todos os cuidados necessários

Divulgação

O mercado de trabalho exige cada vez mais profissionais competentes e habilidosos. A fim de atender às necessidades e demandas da região, o Instituto de Pós-Graduação (IPG) Esucri lançou o curso de Enfermagem em Obstetrícia. O início das aulas está marcado para o dia 28 deste mês.

O profissional com essa especialização será responsável por prestar assistência de enfermagem à mulher durante a gestação, parto e puerpério, bem como prestar consultoria na área.

Segundo a coordenadora do curso de Enfermagem, professora Marilene Nonnemacher Luchtemberg, a especialização conta com aulas teóricas e práticas. Após a finalização do curso, o profissional poderá solicitar o registro de enfermeiro(a) obstetra junto ao Conselho de Classe”, comentou.

O IPG também conta com os cursos de Enfermagem em Pediatria e Neonatologia, que prioriza os cuidados com recém-nascidos e a criança; Enfermagem em Cardiologia e Hemodinâmica, que abrange a ampla área da cardiologia; e o curso de Enfermagem em Emergência e Unidade de Terapia Intensiva, onde o foco são os pacientes críticos.

Os encontros ocorrem, preferencialmente, a cada quinze dias e as matrículas podem ser feitas pelo site esucri.com.br/posgraduacoes ou no setor de Gestão do Aluno, localizado na Unidade V da Esucri.

Notícias Relacionadas

Covid-19: número de casos e óbitos tem maior queda em 2021

Apenas uma capital está com taxa superior a 80%: o Rio de Janeiro

SC tem motivos para se preocupar com o tsunami no Brasil? Entenda

O vulcão, parado há 50 anos, passou a apresentar atividades sísmicas mais fortes desde o último sábado (11) e está em sinal de alerta. Caso entre em erupção, pode gerar um tsunami que atingirá o Brasil

Handebol de Criciúma disputa fase regional do Campeonato Brasileiro Sub-16

Grupo busca neste sábado a classificação para a etapa final da competição

Veículo alugado e não devolvido é recuperado pela PRF na BR-101, em Tubarão

O motorista, de 32 anos, alegou ter locado o veículo em 2019 para trabalhar como motorista autônomo, e que não sabia da condição do veículo