Geral

“Precisamos de mais ‘acreditadores’ em sala de aula”, diz professor cearense em Criciúma

Amaral Barbosa, que projetou escola pública do sertão nacionalmente, compartilhou experiências com professores a convite do Sicredi

Divulgação/Sicredi

Uma escola onde os pais, professores e a comunidade se sentem responsáveis por pequenos reparos nas instalações elétricas, pela alimentação dos alunos e por atividades extracurriculares. Esse envolvimento, combinado com outras atitudes simples, faz com que a Escola de Ensino Fundamental Miguel Antônio de Lemos, localizada em Pedra Branca (CE), obtenha um Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) acima da média nacional das escolas particulares. É o que garante o professor Amaral Barbosa, que dirigiu a instituição até 2016. Ele passou por Criciúma nesta segunda-feira (29) e compartilhou essas e outras experiências no auditório do Bairro da Juventude.

Para o professor cearense, a realidade da instituição que ele dirigiu por 15 anos, transformou-se porque os alunos entenderam que eram os principais atores do processo de aprendizado. “Já assisti inúmeras vezes uma reportagem nacional sobre a nossa escola. Na matéria, uma aluna diz que há pessoas ali que acreditam nela. E é isso: precisamos de mais acreditadores em sala de aula, produzindo alunos mais confiantes e protagonistas”, sintetizou Amaral.

O educador contou a sua história e as lições oportunizadas por ela para professores que integram o Programa A União Faz a Vida, principal iniciativa de responsabilidade social do Sicredi. Além deles, coordenadores pedagógicos de escolas com ensino integral do município de Criciúma participaram da conversa. “A fala do professor reforça que estamos no caminho certo por meio do A União Faz a Vida, transformando a informação em conhecimento, vivência e garantia de aprendizagem”, conta Luciane Ricardo, coordenadora pedagógica do ensino fundamental da Escola Padre Paulo Petruzzelis, do Bairro.

Divulgação/Sicredi

Programa A União Faz a Vida

Presente em sete estados brasileiros, alcançando mais de 284 mil crianças e adolescentes, o Programa A União Faz a Vida é realidade na Escola Paulo Petruzzellis desde 2017. Aproximadamente 300 estudantes participam atualmente da iniciativa do Sicredi, que conta com a parceria da Secretaria de Educação de Criciúma.

“Nós somos verdadeiros ‘acreditadores’ de uma educação diferente. A vinda do professor Amaral só reforça a importância de investirmos em um programa que estimula o aluno a se posicionar mais e que valoriza o professor e os coordenadores pedagógicos como parte dessa transformação. Isso é concretizar o princípio cooperativista da ‘educação, formação e informação’”, finaliza Aloísio Westrup, presidente da Sicredi Sul SC.

Sobre o Sicredi

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br)

Divulgação/Sicredi

Notícias Relacionadas

Polícia Civil apresenta dados positivos na repressão de roubos em Criciúma com prisões realizadas e criminosos identificados

Comparado com 2018, os dados indicam redução de roubos com uso de arma de fogo, roubos em residência e roubos com mais de três autores, com estabilização da quantidade de roubos gerais.

Tribunal de Justiça catarinense confirma pena para empresário que vendeu pipoca com rato dentro em Criciúma

Uma das vítimas, após ingerir a pipoca, teve intoxicação alimentar aguda causada por alimento contaminado.

Quatro adolescentes criam startup para fiscalizar os poderes de Criciúma

O objetivo dos jovens é reunir informações dos poderes Legislativo e Executivo do município de Criciúma em uma plataforma mais acessível.

Morador é executado com cinco tiros em Criciúma

Segundo informações, a vítima saiu recentemente do presídio e possui passagens por pedofilia e estupro de vulnerável.