Geral

Prefeitura de Içara esclarece sobre desistência da instalação de multinacional italiana

Prefeitura de Içara esclarece sobre desistência da instalação de multinacional italiana

Foto: Divulgação / Cimolai

Uma nota oficial, divulgada na manhã desta quarta-feira (1), esclarece sobre a desistência da instalação da Cimolai em Içara. O comunicado foi assinado pelo procurador da Prefeitura de Içara, Walterney Réus.

A Cimolai é uma empresa italiana, quarta maior montadora de estruturas metálicas do mundo. As negociações iniciaram em junho de 2013. A desistência, motivada por um impasse judicial que a impedia de iniciar a instalação da unidade no Brasil, fez com que fosse perdido investimento que gira em torno de R$ 15 milhões.

Veja abaixo o comunicado na íntegra:

“POR QUE PERDEMOS A CIMOLAI?

Em junho de 2013, representantes da CIMOLAI, empresa italiana, quarta maior montadora de estruturas metálicas do mundo, entraram em contato com a administração municipal para viabilizar a instalação de uma unidade em Içara. Em abril de 2014 a CIMOLAI apresentou minuta do plano de negócios propondo implantar unidade para produção de 10 mil toneladas/ano de estruturas metálicas de grande porte, a partir do 4º ano de instalação; investir R$ 15 milhões em quatro anos; em contrapartida, o Município doaria 10 hectares para instalação da empresa.

O assunto foi largamente debatido junto à sociedade, com audiências públicas gerais e debates específicos com as comunidades locais aonde o empreendimento seria instalado. Depois de tais debates, a Câmara de Vereadores aprovou as leis 3430 e 3431, ambas em 11 de junho de 2014, autorizando o município a conceder os incentivos econômicos e a promover a doação da área, respectivamente.

Em 02/07/2014, o servidor municipal, advogado Vanderlei Zanetta, por intermédio de sua filha e advogada Samanta Zanetta, propôs ação popular (028.14.003197-6) objetivando anular a doação da área à CIMOLAI. Depois de ouvido o Município, o juiz da causa negou o pedido de liminar feito pelo servidor para suspender o negócio jurídico.

Com a liminar sendo indeferida, e, havendo profundo interesse do Município em fomentar sua economia, as ações para implantação da empresa foram retomadas e, em 01 de agosto de 2014, a área foi escriturada e registrada em nome da CIMOLAI (matrícula 44.538).

Contudo, até a presente data, a CIMOLAI sequer foi citada para integrar o processo, ou seja, o processo ainda nem começou, colocando em risco qualquer investimento feito sobre o imóvel, o que congelou os ânimos dos empreendedores, que aguardaram pacientemente por mais dois anos, esperando que a questão se resolvesse. Até porque, não sendo desenrolada a situação em Içara, a empresa teria de se posicionar sobre o investimento a ser feito.

Nesse passo, em dezembro de 2016 a empresa CIMOLAI, por força desse impasse judicial que a impedia de iniciar a instalação de sua unidade no Brasil, optou por desistir do negócio, formalizando a vontade de devolver o imóvel para o Município e sair do Brasil.

Foi assim que perdemos a CIMOLAI; foi assim que perdemos um investimento de 15 milhões de reais de uma das maiores empresas de estruturas metálicas do mundo. Nesses tempos de crise aguda na economia, nesses tempos de empregos escassos e de depressão social, o preço dessa perda, para o Município de Içara e toda a região, é incalculável”.

Notícias Relacionadas

Com aperfeiçoamento constante, Associação de Apicultores de Orleans é destaque em Santa Catarina

Com investimento de R$ 3,9 milhões, Estado entrega unidades de assistência social em Armazém, Rio do Oeste, Lontras e Florianópolis

Cada uma das unidades conta com sala de atendimento familiar, administração, recepção, cozinha, banheiro, área de serviço, sala multiuso, área externa coberta e mobília.

Governo do Estado lança edital para investimento de R$ 4 milhões em pesquisa em Santa Catarina

Podem participar da chamada professores e pesquisadores com doutorado e que tenham vínculo com instituições de ensino e pesquisa públicas, comunitárias e privadas sem fins lucrativos.

Assinada ordem de serviço para ampliação do CEI Mundo Encantado em Braço do Norte

O valor é de aproximadamente R$ 300 mil e os recursos são próprios da Prefeitura de Braço do Norte.