Segurança

Rebelião na penitenciária de Criciúma termina e reféns são libertados

Grupo de cerca de 10 detentos havia feito dois agentes penitenciários e uma psicóloga reféns em uma das galerias pela manhã.

Divulgação

A rebelião na Penitenciária Sul, em Criciúma, chegou ao fim por volta das 14h30min. Segundo informação da Polícia Militar, os detentos se renderam, entregaram as armas e liberaram os dois agentes prisionais que eram reféns desde a manhã. A negociação foi feita pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope) e pela Polícia Militar.

Os agentes que foram feitos reféns estão recebendo atendimento médico e psicológico, segundo informou a Secretaria de Administração Prisional e Socioeducativa (SAP). Outros dois agentes ficaram feridos ainda no início da rebelião, em circunstância ainda não detalhada. Eles já receberam atendimento médico e foram liberados.

Um grupo de cerca de 10 presos da unidade se rebelou por volta das 9h da manhã desta sexta , dia 14, e rendeu dois agentes penitenciários que atuam na unidade – desde 2020, a categoria passou a ser chamada de policial penal. A situação ocorreu na galeria H da penitenciária, que fica em uma área externa ao pavilhão principal. Os detentos estavam com uma arma calibre 12, que era de um dos agentes rendidos. Eles estavam munidos de uma espingarda calibre 12, que era de um dos agentes tomados como reféns.

As causas que levaram as presos à rebelião ainda são desconhecidas. A unidade tem 690 vagas e atualmente cumprem pena no local 800 detentos. A juíza titular da Vara de Execuções Penais de Criciúma, Débora Zanini, explicou que a unidade é considerada de segurança máxima e tem esquema disciplinar muito rígido, o que faz com que muitos presos não se adaptem e se rebelem. “A ocupação não chega a extrapolar tanto a capacidade. Está dentro daqueles 35% de excedentes recomendados pelo CNJ. Está no limite do razoável essa lotação. E os presos ali têm todas as condições de alimentação, abrigo e materiais de higiene. Não sabemos do que exatamente eles estão reclamando”, afirmou.

A Polícia Militar foi acionada para conter o movimento. Foram chamados para reforçar a ação junto à PM de Criciúma os batalhões de Içara e Araranguá. O Bope de Florianópolis também foi convocado para a operação, vindo com eles um negociador para iniciar as tratativas com os rebelados. Corpo de Bombeiros e Samu também destacaram unidades a pedido da PM. A penitenciária se localiza no limite de Criciúma com Araranguá e foi inaugurada em 2008. Trata-se da primeira rebelião de maior vulto na unidade, considerada uma das mais seguras do sistema prisional catarinense.

Uma entrevista coletiva ao fim da tarde deve dar mais detalhes sobre a rebelião e a negociação que levou ao fim do ato, com a libertação dos reféns.

Estado se manifesta

Por nota, a Secretaria de Administração Prisional e Socioeducativa de Santa Catarina se manifestou na manhã desta sexta, confirmando a ocorrência. “A Secretaria de Administração Prisional e Socioeducativa informa que houve, na manhã desta sexta-feira, um fato de subversão à ordem na Penitenciária Sul, em Criciúma. Houve pronta resposta da SAP, de forma articulada com outras forças de segurança e apoio irrestrito da Polícia Militar. A ocorrência está em andamento e novas informações serão divulgadas ao longo desta sexta-feira”.

Com informações do NSCTotal / Denis Luciano

Notícias Relacionadas

Governo de Criciúma lança programa Educação Empreendedora nas escolas

Projeto foi apresentado nesta quarta-feira no Teatro Elias Angeloni

Librelato é finalista no Prêmio AutoData 2021

A Librelato chega pela sexta vez como finalista ao Prêmio Autodata por suas inovações no setor de implementos.

Governador garante investimento de R$ 12 milhões para asfaltamento de rodovia em Jaguaruna

A estrada tem quase 8 km e faz a conexão com as comunidades de Jabuticabeira e Congonhas, além de garantir um acesso secundário a Tubarão.

Covid: Fila por UTI em SC é a menor desde o início de junho

Segundo o último boletim, entre os 27 pedidos, a maior parte está na região Sul (12).