Geral

Procon de Morro da Fumaça alerta para preços abusivos

Órgão ainda não recebeu nenhuma denúncia, mais diz estar alerta a possíveis elevações fora do normal.

Foto: Divulgação

O Procon de Morro da Fumaça publicou comunicado, na manhã desta quarta-feira (30), sobre possíveis abusos de preços nos estabelecimentos comerciais do município, devido à paralisação dos caminhoneiros fez com que houve escassez de produtos nas prateleiras.

No texto, o coordenador Guilherme Henrique destaca que nenhuma denúncia foi feita até o momento e que o órgão municipal está atento a possíveis aumentos indevidos dos preços de produtos e serviços.

Ainda segundo a nota, o fornecedor pode elevar o preço, porém, pautado na livre iniciativa, desde que esta prática não se torne onerosa ao consumidor. O estabelecimento que praticar este tipo de ato estará sujeito a sanção administrativa a ser instaurada pelo Procon.

Limitação de produtos por consumidor

Já sobre a limitação de produtos, o Procon entende que a ação é possível devido a situação que o país está passando. “As informações acerca da quantidade de produtos a ser adquirido por consumidor devem estar divulgadas de forma prévia em suas publicidades para que o consumidor não seja surpreendido ao chegar ao estabelecimento”, descreve.

Qualquer dúvida ou denúncia pode ser levada ao Procon. Na ocasião, o consumidor deve apresentar o documento que comprove a prática abusiva do estabelecimento comercial. O órgão está localizado no Edifício San Valentin, na rua Eugenio Pagnan, no Centro e o telefone para o contato é o (48) 3434-2235.

Colaboração: Comunicação Prefeitura de Morro da Fumaça

Notícias Relacionadas

Procon autua posto de combustíveis por preço abusivo em Criciúma

Operação irá fiscalizar 40 estabelecimentos do município, três já foram autuados.

Instituições de ensino da região informam sobre situação das aulas

Tribunal de Justiça mantém multa superior a R$ 1 milhão aplicada por Procon em financeira de Criciúma

A empresa foi penalizada, na seara administrativa, por práticas contrárias às normas consumeristas

Petroleiros deflagram greve de 72 horas a partir de quarta-feira