Política

Procuradora da Prefeitura de Lauro Müller presta esclarecimentos sobre fraudes e escândalos do governo

Procuradora da Prefeitura de Lauro Müller presta esclarecimentos sobre fraudes e escândalos do governo

Foto: Rádio Cruz de Malta

A procuradora jurídica da Prefeitura de Lauro Müller, Ana Melo, em entrevista à Rádio Cruz de Malta na manhã desta quinta-feira, dia 29, falou a respeito das investigações instauradas pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), que têm como réu, entre outras pessoas, a prefeita Saionara Bora, conforme divulgado com exclusividade pelo portal Sul in Foco.

O primeiro caso apura suposta incompatibilidade no exercício de atividades de Saionara enquanto prefeita de Lauro Müller e médica credenciada junto ao Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN/SC), na cidade de Urussanga. No dia 19 de março, o MPSC, por meio da promotora de Justiça Larissa Zomer Loli, fez uma solicitação de informação, dando um prazo de 10 dias para a resposta.

“Nós respondemos no dia 31 de março e prestamos os esclarecimentos necessários ao Ministério Público e não tivemos nenhuma retorno com relação ao que o MP está fazendo com este procedimento”, declarou. “A Constituição diz que há incompatibilidade do exercício de prefeita quando ela tem também um cargo, um emprego ou uma função pública, o que não é o caso do DETRAN, porque lá ela atua como médica privada por meio de um credenciamento. Então ela não é uma servidora do DETRAN de Santa Catarina”, acrescentou.

A advogada também falou a respeito da Ação Civil Pública (ACP) nº 5000595-66.2021.8.24.0087, que apura irregularidades ocorridas no processo licitatório no âmbito da Fundação de Saúde de Lauro Müller (Fundação Hospitalar Henrique Lage). Neste, são réus (acusados): a prefeita Saionara Correa de Carvalho Bora, a diretora da Fundação Hospitalar Regina Ramos Antunes, o advogado Luiz Marcos Bora Junior e o escritório de advocacia Luiz Marcos Bora Sociedade Individual de Advocacia.

“O hospital é uma Fundação e possui um CNPJ próprio. Ele está totalmente desvinculado da Prefeitura. O que há é um convênio. Se nós tivéssemos hoje um outro hospital na região, seria realizado um mesmo convênio. A Prefeitura não tem poder nem de gestão, nem de coordenação e nem de direção deste hospital, que está hoje a cargo da Regina, a diretora. Então, na verdade, nós não deveríamos nem estar neste polo passivo desta ação do hospital. Inclusive, o que se alega aqui, a compra direta, não tem nenhuma assinatura da prefeita Saionara”, justificou durante a entrevista, emendando que a Administração Municipal apresentará uma defesa e ficará a cargo do Poder Judiciário analisar os argumentos e julgar o caso.

Por fim, a ACP nº 5000625-04.2021.8.24.0087 averigua suposta fraude no âmbito da Secretaria de Administração do Município. Neste, os denunciados são: a prefeita Saionara Correa de Carvalho Bora, o secretário Municipal de Administração José Artur Fernandes, o advogado Rafael Dagostin da Silva e o escritório de advocacia Rafael Dagostin da Silva Sociedade Individual de Advocacia. Em relação a este caso, ela informou que o acesso ao processo foi solicitado, tendo em vista que corre em segredo de Justiça, e que também está aguardando um posicionamento por parte do Poder Judiciário.

Notícias Relacionadas

“A verdade, o quanto antes”: Governador Moisés pedirá agilidade nas investigações envolvendo processo de compra de respiradores

O governador falou sobre a decisão da justiça de encaminhar o processo que apura o procedimento de compra de respiradores pelo Governo do Estado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ)

Projeto Educanvisa promove saúde em escolas da rede municipal de Lauro Müller

2ª edição da Feira do Livro é aberta em Lauro Müller

O evento seguirá até o sábado (10) nas dependências do Salão de Festas da Igreja Matriz.

Carro esportivo de luxo é apreendido com mais de R$ 15 mil em débitos, em Araranguá

Agentes abordaram o motorista, de 27 anos, após denúncia por direção perigosa.