Litoral

Professor suspeito de estuprar 7 alunas com idades entre 10 e 11 anos é preso em Santa Catarina

Polícia começou investigações após meninas contarem aos pais sobre crimes. Caso foi em Santo Amaro da Imperatriz.

Foto: Polícia Civil/Divulgação

A Polícia Civil prendeu preventivamente um professor de 59 anos suspeito de estuprar sete alunas com idades entre 10 e 11 anos. As investigações começaram após as meninas contarem aos pais sobre os crimes. A prisão foi feita em Santo Amaro da Imperatriz, na Grande Florianópolis, na segunda-feira (26), por cumprimento de mandado. Ele já tinha passagens pelo mesmo crime.

O caso ocorreu numa escola estadual no município. As investigações começaram há um mês, após os pais das estudantes procurarem a polícia. As crianças foram ouvidas e confirmaram os abusos, disse o delegado Rodrigo Mayer, responsável pelo inquérito.

Os crimes teriam sido cometidos durante as aulas. O professor teria passado a mão nas partes íntimas das vítimas e dizia para elas sentarem no colo dele. As garotas estudam na mesma sala e cursam a 5ª série do Ensino Fundamental.

O suspeito dava aulas de português, geografia, história e matemática. Funcionários da escola também foram ouvidos durante as investigações. “Todos disseram que nunca desconfiaram de nada”, disse Mayer.

Também foi cumprido um mandado de busca e apreensão na casa do suspeito. Foram recolhidos notebooks, tablets, fitas VHS e um caderno de anotações. Os objetos passam por perícia. A polícia desconfia que o homem possa armazenar conteúdos de pedofilia, o que configura outro crime.

O suspeito preferiu se calar durante o depoimento, informou o delegado, e não resistiu à prisão. O professor foi levado para o presídio de Florianópolis.

Com informações do G1SC

Notícias Relacionadas

DIC de Criciúma apreende 1,5 kg de maconha e munição de calibre restrito

Revólver, munições e droga são encontrados durante blitz realizada pela PMRv de Içara

Polícia Civil cumpre mandados contra suspeitos de latrocínio em Sombrio

Seis são presos acusados de participação em latrocínio em Treze de Maio