Saúde

Professora da Unisul chama população para se vacinar

O Sistema Único de Saúde (SUS) tem 19 tipos de vacinas gratuitas para a prevenção de mais de 20 tipos de doenças e a população precisa se conscientizar de que esta é a forma de se evitar graves problemas de saúde. A advertência é da professora e enfermeira Djamila Marcelino Barros.

Divulgação

O Sistema Único de Saúde (SUS) tem 19 tipos de vacinas gratuitas para a prevenção de mais de 20 tipos de doenças e a população precisa se conscientizar de que esta é a forma de se evitar graves problemas de saúde. A advertência é da professora e enfermeira Djamila Marcelino Barros, que convoca as famílias a não vacilarem diante de epidemias que têm assolado a nação. “As vacinas são uma das maneiras mais eficazes de prevenir doenças. O país é pioneiro nessa prática mantendo diversas doenças controladas e outras até erradicadas de circulação”, reforça.

Na visão da enfermeira, as vacinas são o resultado do avanço da tecnologia aplicada à área das ciências da saúde. Assim, elas auxiliam na manutenção e promoção do bem-estar da população. E embora o Brasil passe agora por alguns surtos isolados de doenças como o Sarampo, o trabalho de imunização na primeira infância acaba por proteger a saúde de muitas pessoas ao longo da vida.

Atualização das vacinas

Algumas vacinas perdem a eficácia com o passar do tempo como é o caso da que previne o tétano, necessitando de reforços a cada 10 anos. Outra questão são as novas vacinas que passaram a integrar o calendário brasileiro de imunização como a do HPV, destinada para a população adolescente, e a da febre amarela que deve ser aplicada para pessoas com idade entre 9 meses até 59 anos.

Outro alerta para os catarinenses vem da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE) de Santa Catarina. O estado registrou 15 casos de Sarampo e tem mais 5 sob investigação. Assim, o Ministério da Saúde orientou a aplicar a “dose zero” da vacina tríplice viral – que previne contra sarampo, rubéola e a caxumba – em crianças de 6 até 11 meses de idade. Além disso, aconselha que todos devem verificar a situação vacinal para evitar surto da doença no estado. Pessoas com idade entre 1 e 29 anos devem receber duas doses da vacina com intervalo mínimo de 30 dias e os adultos de 30 a 49 anos devem tomar uma dose para estarem imunizados.

SAIS

A Unisul conta com o Serviço de Assistência Integrada à Saúde (SAIS) que presta atendimentos para a comunidade interna da Universidade e externa no bairro Dehon através da Estratégia de Saúde da Família (ESF), por meio da Prefeitura de Tubarão. No local estudantes, funcionários e a população recebem atendimentos primários de saúde e demais serviços.

Os estudantes do curso de Enfermagem realizam estágios no SAIS, incluindo na área de vacinação. Djamila reforça a importância dos cuidados através imunização e declara: “Prevenir continua sendo a melhor opção, por isso, a gente orienta as pessoas a buscarem a unidade de saúde mais próxima delas para manterem o quadro vacinal sempre atualizado”.

Notícias Relacionadas

ExpoMais é oficialmente lançada nesta segunda-feira

O evento terá palestras principais com nomes de renome nacional, além de outros espaços que estarão à disposição do público e que serão reveladas no evento de lançamento desta segunda-feira.

Instituições de ensino da região informam sobre situação das aulas

Portal da Transparência: população pode tirar dúvidas de investimentos para combater à Covid-19 em Criciúma

Criciumenses podem mandar também sugestões para o governo municipal.

Tribunal de Justiça autoriza prefeitura a retomar obras da passarela em frente à Unisul, em Tubarão

Iniciada em fevereiro, a construção da passarela precisou ser interrompida por alguns dias ainda no primeiro semestre por conta da ação judicial de uma empresa inabilitada no processo de licitação.