Educação

Professores estão decepcionados com vereadores que rejeitaram a municipalização

Professora Marlize Spricigo, falou em nome da classe e registrou a grande magoa e decepção que estão sentindo, por terem os vereadores rejeitado o projeto de municipalização.

Após a sessão ordinária desta segunda-feira (6), os vereadores de Lauro Müller se reuniram por volta das 20h30min com um grupo de cerca de 30 professores da rede municipal de ensino, que foram a Câmara discutir a municipalização de escolas no município.

A professora Marlize Spricigo, falou em nome da classe e registrou a grande magoa e decepção que estão sentindo, por terem os vereadores rejeitado o projeto de municipalização. “Os senhores sem querer votaram “não” ao nosso trabalho, nós é que fazemos a educação acontecer nas salas de aula. O que se entende é que a Câmara ao votar contra o projeto acabou por descredibilizar o ensino da escola municipal e o trabalho dos profissionais da rede”, enfatizou a professora.

Ela também ressaltou que os professores da rede municipal batalharam muito para erguer o ensino municipal e conseguir alcançar índice do IDEB de 5,2 o melhor do município. Conforme a professora, a expectativa para esse ano é que esse índice aumente muito mais, já que as escolas passaram a contar com o reforço do Sistema Positivo.

Ainda segundo Marlize Spricigo, todos os professores da rede municipal estudaram e se aperfeiçoaram e no ensino fundamental 90% deles já estão pós-graduados. Para ela, a comunidade precisa entender que quem vai fazer a municipalização acontecer serão os professores, que querem assumir esse compromisso com a comunidade. “Acreditamos sim que a municipalização irá ser o melhor caminho para o ensino lauromüllense, porque as escolas municipais estão mais próximas do poder local, que pode dar respostas rápidas e diretas às demandas da comunidade”, registrou a professora, acrescentando que essa proximidade com a Secretaria de Educação possibilita uma participação maior de pais de alunos, diretores e professores na gestão da escola, ficando mais fácil pressionar as autoridades para obter melhorias.

Depois de ouvirem a manifestação, os vereadores Helder Velho (PMDB), Toninho Nunes (PSDB) e Julio Cardoso (PP), disseram compreender o posicionamento dos professores, e o que os levou a votar contra a municipalização foi a falta de um diálogo mais amplo sobre o assunto e a forma que o projeto chegou à Câmara, a data e o pouco tempo para debatê-lo.

O presidente da Casa, vereador Manoel Jades Izidorio “Maneca” (PMDB), lamentou os desdobramentos que teve o assunto na ocasião e colocou o Poder Legislativo a disposição dos professores para futuras discussões.

  • 9ebb748f7c415eae696eabe9cf78fefb
  • a94605fbbce30ce9782a27231be0ba1e
  • ae1be0b66a237b0665a7b33db9186b4d
  • 2ef0b2eff0fed2c3007cbfb766ad2bba