Geral

Profissionais da Assistência Social passam por minicurso sobre abordagem antirracista em Criciúma

Palestra foi ministrada por três profissionais da área da Educação e Direito e ocorreu no Salão Ouro Negro

Divulgação

Para orientar os profissionais da Secretaria Municipal de Assistência Social e Habitação no suporte psicológico, assistencial e jurídico às vítimas de violência racial, o órgão municipal promoveu uma capacitação na tarde desta quinta-feira (23). O minicurso, intitulado ‘Abordagem antirracista na Assistência Social de Criciúma’, é em parceria com a Coordenadoria e Promoção de Igualdade Racial de Criciúma (Copirc).

Realizado no Salão Ouro Negro, no Paço Municipal Marcos Rovaris, o encontro foi ministrado pelos profissionais da área da Educação e do Direito, Normelia Ondina Lalau de Farias, Alex Sander da Silva e Magda Lalau José dos Passos. O objetivo do curso é que os colaboradores possam dar o suporte necessário para as vítimas e ampará-las.

“É uma iniciativa inédita no município, uma capacitação totalmente voltada para temática. Identificamos essa fragilidade que tínhamos no nosso equipamento porque em Criciúma existe preconceito e racismo. Já tínhamos um olhar em relação a isso, às vezes nós identificávamos, mas não estava no nosso sistema e precisamos gerar números para quando buscarmos a nossa política para fazer a defesa, seja por meio dos dados”, frisou o secretário municipal de Assistência Social e Habitação, Bruno Ferreira.

Notícias Relacionadas

Homem que matou estuprador é condenado a 14 anos de prisão em Criciúma

O crime aconteceu em fevereiro de 2019, quando a vítima foi assassinada a tiros por Y.D.C., à época com 23 anos, no bairro Cristo Redentor, em Criciúma

São Ludgero foi sede da reunião do Colegiado de Educação da Amurel

O evento foi aberto e coordenado pelo Assessor da Amurel, responsável pela área de Educação

Governador Carlos Moisés destaca inovação catarinense durante Circuito Inova SC

O reitor do Unibave, Guilherme Valente de Souza, destacou o momento ímpar vivido pela Acafe e por cada universidade comunitária do Estado

Santa Catarina reduz a cinco meses intervalo para dose de reforço em idosos

A logística de encaminhamento de doses para os municípios tem ocorrido de forma ágil e leva em conta a estimativa populacional do IBGE