Saúde

Quantidade de afastamentos e comprimidos distribuídos chama a atenção na Saúde de Criciúma

Número de afastamentos é mais que o dobro de servidores efetivos e comprimidos distribuídos reduzem em cinco milhões.

Foto: Divulgação

Com a intenção de chamar a atenção da sociedade para os números atuais da Saúde em Criciúma, o Observatório Social, por meio da Câmara de Saúde, elaborou um relatório de informações referente ao ano de 2017.

Como nos anos anteriores, a quantidade de comprimidos distribuídos chamou a atenção, assim como o valor empenhado na pasta, que é o menor nos últimos três anos. Mas o destaque fica para o número de afastamentos de servidores no último ano, que chega a quase três mil, mais que o dobro do número de funcionários.

Em 2017, os números cedidos pela Secretaria de Saúde mostram que a pasta possuía 707 servidores efetivos, 407 contratados e 47 comissionados, totalizando 1.161 servidores, porém, o número de afastamentos chega a 2.753 no ano, mais que o dobro de trabalhadores.

Quantidade de comprimidos distribuídos diminui mais de cinco milhões

Em 2016 a quantidade de comprimidos distribuída ultrapassava 30 milhões anualmente. Em 2017 os números tiveram uma redução significativa, cinco milhões de comprimidos a menos que o relatório do ano anterior.

Segundo as informações da Secretaria de Saúde, são consumidos em torno de 240 tipos de medicamentos, que somados totalizam 25.549.035 unidades de comprimidos. Em 2016 o número era de 30.628.284.

Custo por habitante

Na média com cidades de mesmo porte no estado, Criciúma apresenta números bem parecidos. O Custo Per Capita por habitante em Criciúma ficou em R$ 1.053,11 anuais para 211.369 habitantes. A cidade de Chapecó, com 213.279 habitantes possui um custo de R$ 1.231,75 e Itajaí, com 212.615 habitantes possui um custo de R$ 1.302,01 anuais por habitante.

Receita maior, investimento menor

Outro dado que chamou a atenção do OS Criciúma foi a redução do valor empenhado em Saúde em referência aos anos anteriores. Em 2017 foram empenhados na Saúde R$ 222.594.809,59 e a receita foi de R$ 666.388.728,54. Em 2016, por exemplo, a receita do município foi de R$ 587.294.748,25 e foram empenhados em Saúde R$241.443.695,35.

Lista dos dez remédios mais consumidos

1 Clonazepam 2mg 1.476.221 – Ansiolítico

2 Losartana potássica 50mg 1.422.893 – Anti-hipertensivo

3 Omeprazol 20mg 1.405.378 – Antiulceroso

4 Aas (ácido acetilsalicílico) 100 mg 1.305.890 – Anti-inflamatório e anti-agregante plaquetário

5 Fluoxetina 20mg 1.081.611 – Antidepressivo

6 Hidroclorotiazida 25mg 1.073.810 – Anti-hipertensivo

7 Metformina, cloridrato 850mg 1.032.168 – Antidiabético

8 Enalapril 10mg 1.029.018 – Anti-hipertensivo

9 Amitriptilina 25mg 917.836 – Antidepressivo

10 Paracetamol 500mg 763.419 – Analgésico e antitérmico

Mais informações: Sinésio Volpato – Presidente do OS Criciúma (988421128)

Colaboração: Lucas Jorge – Câmara de Comunicação OS Criciúma

Notícias Relacionadas

Mais de 5,7 mil crianças comparecem na 1ª etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo em Criciúma

Número superou a expectativa da Secretaria Municipal de Saúde. Segunda etapa inicia dia 18 de novembro, com foco em adultos de 20 a 29 anos

Rever: aplicativo que contribui para a coleta seletiva já tem grande demanda de usuários em Criciúma

Plataforma digital auxilia nas denúncias de irregularidades e solicitações para coletas

Polícia Civil apresenta dados positivos na repressão de roubos em Criciúma com prisões realizadas e criminosos identificados

Comparado com 2018, os dados indicam redução de roubos com uso de arma de fogo, roubos em residência e roubos com mais de três autores, com estabilização da quantidade de roubos gerais.

Tribunal de Justiça catarinense confirma pena para empresário que vendeu pipoca com rato dentro em Criciúma

Uma das vítimas, após ingerir a pipoca, teve intoxicação alimentar aguda causada por alimento contaminado.