Geral

Região Carbonífera tem quase 146 mil empregos formais

Número de vagas com carteira assinada equivale a 32,94% da população estimada pelo IBGE, acima das médias estadual e nacional.

Santa Catarina tem saldo de 11.284 empregos em janeiro

Divulgação 

Conforme os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – Novo Caged –, divulgados nesta quinta-feira, 26, pelo Ministério do Trabalho, a Região Carbonífera alcançou em julho a marca de 145.806 empregos formais, o equivalente a 32,94% da população estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 442.578 habitantes na soma dos 12 municípios.

O percentual fica acima das médias estadual e nacional. Em Santa Catarina, 2.299.862 pessoas possuem registro em carteira, correspondendo a 31,71% dos habitantes. No Brasil, são 41.211.272 trabalhadores formalizados, 19,46% da população, estimada em 211.755.692 pessoas.

“Esses dados demonstram que a formalização da economia na região, assim como em Santa Catarina, alcança níveis superiores aos registrados no país, tanto no mercado de trabalho quanto no número de empresas em operação. Outro ponto a se destacar é que o estoque de empregos, ou seja, os postos de trabalho formalizados, vem aumentando mês a mês”, ressalta o presidente da Associação Empresarial de Criciúma (Acic), Moacir Dagostin.

Mais de 7,6 mil novas vagas na Amrec

No acumulado do ano, 7.629 novas vagas com registro em carteira foram abertas na Região Carbonífera, sendo 797 em julho. A geração de empregos é liderada por Criciúma, que adicionou 493 postos de trabalho formais no mês passado e 3.798 entre janeiro e julho.

A seguir, vem Içara, com 1.177 empregos adicionados em 2021. Mas todos os municípios da região têm saldo positivo na soma dos sete primeiros meses do ano: Morro da Fumaça (461), Forquilhinha (457), Urussanga (364), Nova Veneza (304), Orleans (294), Cocal do Sul (237), Siderópolis (167); Balneário Rincão (152), Lauro Müller (124) e Treviso (94).

Divulgação

Banco de Talentos tem mais de 14 mil vagas ofertadas

O aquecimento do mercado de trabalho formal reflete-se também no Banco de Talentos da Acic, por meio do qual foram oferecidas 14.355 vagas em 2021, média de quase 1,8 mil por mês. No período, 12.521 profissionais cadastraram seu currículo na ferramenta, seja para buscar o primeiro emprego ou uma nova colocação.

“O Banco de Talentos da Acic tem cumprido o seu papel na aproximação entre as empresas e os profissionais, disponibilizando um ambiente seguro tanto para quem contrata como para quem busca novas oportunidades. Em breve, a entidade vai oferecer uma plataforma ainda mais inovadora e assertiva”, antecipa o presidente Moacir Dagostin.

Notícias Relacionadas

Maracujá: a ascensão do fruto em Criciúma e na Região Carbonífera

Fruto volta a ser cultivado, sendo uma das opções de renda aos agricultores

Maior frio do ano é previsto para amanhã na Região Carbonífera

Meteorologista Ronaldo Coutinho conta que temperaturas negativas podem ser registrada em Criciúma.

Representantes da região Carbonífera visitam a Câmara de Comércio e Indústria Brasil China

Entidade independente e sem fins lucrativos, com o objetivo fomentar a relação entre os dois países.

Micro e pequenas empresas geraram 75% dos empregos formais em janeiro

Resultado é quase o dobro do mesmo mês de 2020, diz Sebrae.