Saúde

Reunião entre Isev e Sindisaúde termina sem definição quanto à rescisão do contrato dos trabalhadores

Caso do Hospital Psiquiátrico do Rio Maina ganha encaminhamentos

Foto: Divulgação/DN

A reunião entre o Instituto de Saúde e Educação Vida – Isev e o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde de Criciúma e região – Sindisaúde terminou sem definição quanto à rescisão dos contratos dos trabalhadores. Conforme o presidente do Sindisaúde, João Batista Martins Estevam, o Isev deseja continuar com a Casa de Saúde do Rio Maina aberta, através de atendimentos particulares e com convênios.

“A informação de que os atendimentos pelo Sistema Único de Saúde – SUS vai parar continua”, salienta. Contudo, Estevam disse ter cobrado a questão do contrato dos trabalhadores, mas ficou sem respostas. “Eles afirmaram que vão reduzir o número de funcionários, mas pediram até a quarta-feira para definir o que será feito com os contratos”, aponta.

Entretanto, o Sindisaúde deu esta sexta-feira (16) como limite. “Segunda-feira é o último dia de trabalho. Estamos com dificuldades de manter os 30% dos trabalhadores, que estão totalmente desacreditados”, explica.

Rescisão indireta

Caso os trabalhadores não tenham nenhuma resposta do Isev, o presidente do Sindisaúde conta que o sindicato entrará com a rescisão indireta dos funcionários. “Alertei sobre esta questão, que mesmo que eles queiram manter os atendimentos particulares, não vai haver trabalhadores”, expõe.

Os funcionários ainda aguardam o pagamento dos salários referentes a maio. O vencimento de abril foi depositado na conta dos trabalhadores somente neste mês.

Dívida de R$ 230 mil com pagamentos

Conforme o administrador da Casa de Saúde, Marcelo Sottana, os trabalhadores irão receber os valores devidos quanto ao pagamento. O valor é de R$ 230 mil e pode vir junto com o pagamento de algumas rescisões.

Sottana ainda explica que é inevitável que demissões sejam feitas, haja vista que a instituição de saúde permanecerá com apenas 30 leitos. “Já passei para a matriz essa questão, mas ainda não se sabe se vai ser pago em uma data ou parcelado”, aponta.

Quanto à informação de que o hospital não possui certidão negativa de débitos, Sottana aponta que é mentira. “Temos todos os documentos para provar que estamos em dia”, salienta.

Avaliação dos pacientes

A Secretaria de Saúde tem trabalhado para para avaliar os pacientes internados na instituição. Nesta terça-feira (13), conforme a secretária de Saúde de Criciúma, Francielle Gava, 29 pacientes foram avaliados e um recebeu alta. A intenção é terminar o serviço até sexta-feira e definir se eles podem receber alta ou se terão que ser transferidos para outras instituições.

Com informações do Portal DN Sul

Notícias Relacionadas

Quimioterapia: jovem tubaronense consegue tratamento na Justiça

Funcionários de hospital de Nova Veneza entram em greve por pagamento de salários

Segundo sindicato, apenas atendimento de emergência é realizado. Hospital deve R$ 70 mil da folha de pagamento de junho, conforme entidade.

Equipamento inédito que identifica dor e produzido com apoio do Governo de SC é apresentado em Brasília

Através de um software e tecnologia avançada, o ReitzScan identifica, avalia e quantifica a dor em três estágios: suave, moderada ou severa.

TST decide julgar dissídio da greve dos trabalhadores dos Correios

Julgamento ainda não tem data marcada pelo tribunal