Geral

Ricardo de Gouvêa é o novo secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável

Durante sua trajetória profissional, Gouvêa participou ativamente da abertura do mercado internacional para proteína animal em países como Rússia, Japão, Coreia do Sul e Singapura

Divulgação

Com formação na esfera jurídica, experiência na iniciativa privada e no agronegócio, segmento em que presidiu sindicatos e associações, Ricardo de Gouvêa assume a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável nesta sexta-feira, 30. Sua missão frente à pasta é de fomentar o crescimento e a competitividade em Santa Catarina. O secretário contará com a atuação do novo adjunto, José Raulino Esbiteskoski, empresário lojista há mais de 30 anos em Joinville e região.

Durante sua trajetória profissional, Gouvêa participou ativamente da abertura do mercado internacional para proteína animal em países como Rússia, Japão, Coreia do Sul e Singapura.

“Nossa missão aqui, frente à Secretaria, é dar continuidades aos relevantes projetos, programas e ações da pasta, com o intuito de somar e fomentar o desenvolvimento sustentável do nosso Estado, tão importante neste momento de pandemia. É um grande desafio que assumimos, alinhados com as estratégias do Governo de Estado, para fortalecer a interação com o setor econômico e produtivo com intuito de buscar mais competitividade, gerar oportunidades e entregas para Santa Catarina ”, avalia Gouvêa.

Trajetória de Ricardo de Gouvêa

Ricardo de Gouvêa, 61 anos, natural de Curitiba, no Paraná, foi fundador e conselheiro executivo do Instituto Catarinense de Sanidade Agropecuária – ICASA, diretor executivo no Sindicato das Indústrias de Carnes e Derivados no Estado de Santa Catarina – Sindicarne e da Associação Catarinense de Avicultura – ACAV, Membro do Conselho do Agronegócio na Confederação Nacional da Indústria, e Membro da Associação de Proteína Animal. Gouvêa também atuou como secretário de Estado da Agricultura, entre janeiro de 2019 a janeiro de 2021.

Formado em psicologia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, bacharel em direito pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, mestre em Direito Processual Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina, tem também MBA em Direito Tributário pela Fundação Getúlio Vargas e é pós-graduado em Desenvolvimento Gerencial.

Atuou como assessor jurídico na Companhia de Saneamento do Paraná (SANEPAR), chefe do Departamento de Recursos Humanos, assessor jurídico e advogado na Sadia Concórdia S.A Indústria e Comércio. Foi também professor na Universidade do Contestado, Fundação de Ensino do Desenvolvimento do Oeste e na Sociedade Educacional Tuiuti.

Trajetória de José Raulino Esbiteskoski

O empresário e novo secretário adjunto do Desenvolvimento Econômico Sustentável, José Raulino Esbiteskoski, que também toma posse nesta sexta-feira, 30, soma experiência como presidente, por duas gestões, da CDL de Joinville. Também atuou como vice-presidente da Associação Empresarial de Joinville (Acij) por dois mandatos. Atuou no governo Udo Dohler de 2014 a 2020, como secretário de Cultura e Turismo. Foi presidente do Sindilojas Joinville e Região e vice-presidente administrativo e financeiro da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC).

Notícias Relacionadas

Justiça condena empresa que vendeu mas não entregou R$ 2 milhões em máscaras a SC

A distribuidora foi penalizada com multa de 10% sobre o contrato e ainda foi suspensa de participar de novas licitações pelo prazo de seis meses

Secretária de Saúde de Braço do Norte libera 1.356 exames com investimento de mais de R$ 170 mil

Conforme o secretário da Saúde, Sérgio Fernando Domingos Arent, as pessoas que estão à espera dos procedimentos podem ficar tranquilas, pois a Secretaria de Saúde vai entrar em contato para o agendamento

Homem é detido após quebrar imagens da Igreja Matriz, em Treze de Maio

Antes de ir à igreja, ele esteve no posto de saúde central e atacou funcionários e destruiu móveis

Estiagem em SC: Epagri divulga manejos recomendados para diminuir prejuízos nos cultivos

Das 34 estações hidrológicas de monitoramento de nível de rios da Epagri/Ciram no estado, 20 apresentam situação de estiagem