Geral

Rio de SC sobe e água invade ruas; trânsito é desviado

Tempestade Yakecan tem provocado fortes ventos e ressaca na região litorânea de Santa Catarina

Foto: Divulgação

A ressaca ainda afeta as cidades litorâneas nesta quarta-feira (18). Em Itajaí, Litoral Norte de Santa Catarina, o Rio Itajaí-Açu subiu de nível e tomou conta das ruas próximas. Na avenida Prefeito Paulo Bauer, que fica à beira do rio e é o principal acesso ao Ferry Boat que faz a travessia para Navegantes, ficou completamente alagada.

Conforme o coordenador da Codetran (Coordenadoria de Trânsito) de Itajaí, o trânsito está sendo desviado na tarde desta quinta, assim que o nível da água subiu.

A avenida foi fechada para o trânsito comum, com passagem liberada apenas para os veículos que vão em direção ao ferry. Agentes de trânsito estão auxiliando o tráfego no local.

Ressaca

A ressaca e os ventos causados pela tempestade Yakecan também fecharam o acesso aos portos de Itajaí e Navegantes, além de fazer o mar tomar conta das praias.

Na terça-feira (17), a Marinha do Brasil fechou o canal dos portos em função dos fortes ventos, que deixam o acesso impraticável.

A tempestade traz risco potencial de estragos por conta dos fortes ventos, o mar fica muito agitado e há risco de ressaca. De acordo com o meteorologista Piter Scheuer, a tempestade subtropical teve fases de ciclone extratropical. Nesta época do ano, o ciclone mais comum de ocorrer é o extratropical por conta das frentes frias que atravessam a região.

Com informações ND+

Notícias Relacionadas

Casan pede que consumidores economizem água por causa da escassez de chuvas

Ações como evitar lavar calçadas, pátios e carros ajudam. Níveis dos rios que abastecem cidades baixaram.

Samae de Orleans celebra 47 anos de fundação e inaugura obras de reforma da sede

Investimentos de quase meio milhão de reais visam oferecer um atendimento com mais qualidade aos consumidores e melhores condições de trabalho.

Adolescente mascarado invade escola e causa pânico em Itajaí

Até o momento, há duas versões iniciais sobre motivação; garoto de 16 anos anunciou que estava com bomba ao entrar na unidade

Novas análises apontam zero resquício de agrotóxicos na água de Orleans

Após polêmica levantada com publicação do MPSC, Samae de Orleans realizou contraprova com o mesmo laboratório, que não apontou nenhum traço de agrotóxico.