Geral

Santa Catarina lidera geração de empregos formais no Brasil em 2020

No período de 11 meses, o saldo de empregos foi de 67.134. Os estados que aparecem em segundo e terceiro lugar são, respectivamente, Paraná e São Paulo

Divulgação

De janeiro a novembro de 2020, Santa Catarina foi o estado que mais criou postos formais de trabalho no Brasil. Os dados do mês passado foram divulgados pelo Ministério da Economia nesta quarta-feira, 23. No período de 11 meses, o saldo de empregos foi de 67.134. Os estados que aparecem em segundo e terceiro lugar são, respectivamente, Paraná (61.586) e São Paulo (40.856).

“Santa Catarina é um estado competitivo e propício para a criação, a chegada e o crescimento dos negócios. O destaque nacional na criação de postos de trabalho é resultado da resiliência dos catarinenses frente à crise gerada pela pandemia. O papel do Governo do Estado é garantir infraestrutura e um ambiente adequado para a geração de emprego e renda. Nesse sentido temos avançado muito”, avalia o governador Carlos Moisés.

No ano, houve 965.137 admissões e 898.003 demissões em Santa Catarina. O mês de novembro foi responsável por 111.206 contratações e 78.202 desligamentos – um saldo positivo de 33.004. Foi o melhor novembro da série histórica e o sexto mês consecutivo de saldo positivo.

Todos os setores da economia têm saldo positivo na geração de empregos formais em Santa Catarina, tanto no acumulado do ano quanto no mês de novembro. Em 2020, os destaques foram a indústria (36.473 novos postos de trabalho) e serviços (21.397). No mês passado, o resultado foi puxado pelo setor de serviços (11.997) e comércio (11.790).

Menor taxa de desocupação

Com uma taxa de 7,6%, Santa Catarina tem o menor índice de desocupação do país em novembro. A taxa recuou 0,1 ponto percentual em relação a outubro (7,7%), e vem caindo mês a mês desde junho (8,6%). No Brasil, o índice ficou em 14,2%. As informações são da Pnad-Covid19, divulgados nesta quarta-feira, 23, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ainda segundo a Pnad, Santa Catarina se mantém com o menor percentual de pessoas na informalidade. Das 3,45 milhões de pessoas ocupadas em Santa Catarina, 692 mil estavam na informalidade. O percentual de trabalhadores informais foi de 20,1% em novembro e se mantém estável. No Brasil, a taxa ficou em 34,5%.

“O povo catarinense é trabalhador, inovador e sempre busca novas soluções, mesmo diante das dificuldades ocasionadas pela pandemia. E este resultado nos incentiva a trabalhar com afinco na missão de apoiar as empresas que estão no grande esforço de gerar resultados, atrair novas empresas, para um Estado ainda mais competitivo e de muitas oportunidades”, destaca o secretário do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Celso Albuquerque.

Notícias Relacionadas

Prefeito de Bom Jardim da Serra quer intensificar parceria no turismo com Lauro Müller

O objetivo é desenvolver o turismo local, que tem como principal atrativo a Serra do Rio do Rastro, que liga os dois municípios

Santa Catarina registra totais elevados de chuva; estado é de atenção até sexta-feira

Houve registro de alagamentos e deslizamentos devido ao solo encharcado

Prefeito de Braço do Norte assina convênio de R$ 2 milhões para construção dos leitos de UTI do HST

A solenidade ocorreu na manhã desta quinta-feira, 21, no auditório do Siscoob, e também contou com a presença do deputado federal Ricardo Guidi, do vice-prefeito, Ronaldo Fornazza e do presidente do HST, Pedro Michels Neto.

Secretaria de Educação realiza pesquisa para retorno das atividades presenciais em Lauro Müller

O objetivo da pesquisa é de fundamental importância para a equipe da Secretaria de Educação organizar a retomada das aulas presenciais