Saúde

Santa Catarina teve 305 mortes na fila de espera por UTIs entre janeiro e março

Maior número foi registrado em março, quando houve 266 óbitos de pacientes que aguardavam por vaga em leitos adultos para Covid-19

Divulgação

Santa Catarina teve 305 pacientes que morreram na fila de espera por uma vaga em UTIs de hospitais entre janeiro e março de 2021.

A maioria das mortes ocorreu em março, o pior mês da pandemia até aqui, quando 266 solicitações de transferências para UTI foram encerradas por óbito dos pacientes. Em janeiro, somente três mortes ocorreram nessa condição e, em fevereiro, 36.

Os números foram informados pela Superintendência de Serviços Especializados e Regulação, da Secretaria de Estado da Saúde, em resposta a um questionamento do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), que acompanha as ações de combate à pandemia de coronavírus no Estado.

Os dados consideram pedidos de transferências para UTIs adulto Covid e foram atualizados às 16h14min desta quarta-feira (31).

Nesse período de janeiro a março, o Estado informa que houve outras 1.519 solicitações de transferências para UTI de pacientes que estavam em internações ou setores de emergência de hospitais. Foram 67 em janeiro, 442 em fevereiro e 1.010 em março.

A solicitação dos dados foi feita pelo promotor Luciano Trierweiller Naschenweng, da 33ª Promotoria de Justiça de Florianópolis, em processo administrativo que acompanha as medidas de controle e prevenção do coronavírus na Capital e em SC.

SC tem 290 pacientes à espera de vaga em UTI

Santa Catarina inicia abril ainda em cenário de lotação nas UTIs dos hospitais. De acordo com o boletim desta quarta-feira (31) do governo do Estado, havia 290 pessoas à espera de vagas de terapia intensiva. O maior número está no Norte de SC, onde 86 pacientes aguardam por um leito.

O Estado tem até o momento 10.885 e 806.929 casos confirmados de Covid-19 desde o início da pandemia.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Fogo é registrado no Metropolitan em Criciúma

Matriz de Risco aponta a volta de todas as regiões para o nível gravíssimo

No último boletim, divulgado em 10 de abril, as regiões Carbonífera, Extremo Sul Catarinense, Foz do Rio Itajaí e Grande Florianópolis estavam classificadas para o nível grave. Todas as 16 regiões catarinenses apresentaram nota quatro, o nível mais elevado, na dimensão de Capacidade de Atenção, que é aquela que aponta a ocupação de leitos hospitalares

Pandemia do coronavírus afeta bancos de leite materno em SC

Dos 13 bancos do estado, pelo menos quatro registraram queda nos estoques.

Homem é preso em boate de Tubarão por porte ilegal de arma

Homem foi flagrado com uma pistola Taurus calibre.380. A arma estava com 10 munições e todas intactas.