Saúde

SC confirma transmissão comunitária da variante Ômicron do coronavírus

Isso significa que não é mais possível identificar a origem das infecções registradas no Estado

Divulgação

Santa Catarina confirmou a transmissão comunitária da variante Ômicron do coronavírus. Isso significa que não é mais possível identificar a origem das infecções registradas no Estado . O anúncio foi feito nesta quinta-feira (30) pela Superintendência de Vigilância em Saúde.

Os casos foram identificados pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina (Lacen-SC) e confirmados por sequenciamento genômico realizado pelo Laboratório de Referência Nacional para Santa Catarina, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz-RJ).

Dos 58 casos identificados pelo LACEN, 35 foram confirmados e 23 ainda aguardam sequenciamento pela FIOCRUZ/RJ. Além desses, o Laboratório de Bioinformática da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) identificou mais 3 casos da variante Ômicron via sequenciamento genômico em Joinville (2) e Florianópolis (1).

Considerando que o Estado já tinha confirmado três casos até 27 de dezembro, Santa Catarina confirma o total de 41 casos da variante Ômicron, sendo um residente em Maringá (PR) e 40 em Santa Catarina.

Os municípios com registros são*: Balneário Camboriú (1), Biguaçu (2), Camboriú (1), Florianópolis (29), Jaraguá do Sul (1), Palhoça (2), Santo Amaro da Imperatriz (1), São Francisco do Sul (1) e São José (2).

Em relação aos casos sugestivos identificados pelo Lacen, além dos 23 casos que aguardam sequenciamento pela Fiocruz/RJ, outros 129 casos foram identificados, elevando o número de casos sugestivos da variante Ômicron para 152. Os casos novos serão encaminhados para a Fiocruz para realização de sequenciamento.

O que é a transmissão comunitária?

A confirmação da transmissão comunitária acontece quando a investigação epidemiológica não consegue identificar a origem da infecção. Isso indica que a variante está circulando em Santa Catarina e a transmissão ocorre independentemente das pessoas terem viajado ou terem tido contato com outras pessoas que viajaram recentemente para locais fora do Estado com transmissão da variante Ômicron.

Prevenção contra a variante

O diretor da Dive, João Augusto Brancher Fuck, alerta para que a população reforce os cuidados sanitários básicos para evitar a transmissão da Covid-19. Segundo ele, o esquema vacinal deve ser concluído por todos os catarinenses aptos a receber as doses.

– O uso de máscaras, manter os ambientes ventilados, lavar as mãos frequentemente com água e sabão ou utilizar álcool gel 70%, são medidas que ajudam na prevenção para evitar a disseminação do vírus, além de evitar aglomerações – enfatiza.

De acordo com a Dive, as vacinas disponíveis se mostram eficazes contra a variante Ômicron, principalmente quando os esquemas vacinais estão completos. É importante que as pessoas concluam o esquema com dose única ou duas doses da vacina, bem como a dose de reforço após a conclusão do esquema primário.

*Correção: a Dive corrigiu às 20 horas os números de casos confirmados por cidades. Inicialmente, o órgão havia anunciado 27 casos em Florianópolis e dois em Joinville.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Saúde lança nova versão da caderneta de saúde para crianças

Novo modelo será enviado aos estados e municipios até março

Cachoeira é interditada por tempo indeterminado após queda que matou jovem em SC

Leticia Silva Budal, de 20 anos, morreu após cair aproximadamente 50 metros dentro da cachoeira

SC tem 20 vezes mais pacientes em tratamento contra Covid do que no Natal

Em 25 de dezembro, estado tinha 1.987 casos ativos contra 45.915 de sexta-feira. SC enfrenta filas nos postos de saúde e unidades fechadas por causa do afastamento de profissionais da área.

Um ano de vacinação contra Covid-19 com início da imunização de crianças

A vacinação de crianças de 5 a 11 anos é a forma que SC celebra data