Segurança

SC tem 5 mortes por afogamento na primeira semana da temporada

Estado registrou três óbitos em água salgada e dois em água doce

Divulgação

Santa Catarina registrou cinco mortes por afogamento na primeira semana da alta temporada de verão. Três casos ocorreram em praias e dois, em locais de água doce. Todas as vítimas eram homens e a idade média deles é de 28 anos.

Na primeira semana da temporada de verão de 2020-2021, o Estado havia registrado três mortes por afogamento. Em comparação com dois anos atrás, no entanto, a temporada atual ainda tem metade dos óbitos. Naquele ano, foram 10 pessoas mortas por afogamento na primeira semana do verão.

Os dados incluem casos de 18 a 26 de dezembro, a primeira semana da Operação Veraneio do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBM-SC). Segundo a corporação, nenhuma das mortes por afogamento ocorreu em área ou horário de monitoramento dos guardas-vidas nas praias e pontos de banho.

O primeiro balanço da Operação Veraneio mostra também que houve 234 ações de salvamento, menos do que o registrado nos dois últimos anos – no verão 2019-2020 (349) e 2020-2021 (313). Foram feitas também 577 mil ações de prevenção.

Os bombeiros estão presentes nesta temporada de verão em 36 municípios, sendo 169 balneários ou estâncias, com 442 postos de guarda-vidas (fixos e cadeirões). No total, há 2.130 guarda-vidas civis voluntários e 80 guarda-vidas militares.

A alta temporada do ano passado, entre dezembro e janeiro, quando restrições por causa da pandemia de Covid-19 afetaram parcialmente a circulação nas praias, SC teve 34 mortes por afogamento. Já no ano anterior, pré-pandemia, entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020, foram 39 óbitos por afogamentos.

Veja cidades com mortes por afogamento em SC

1 caso em Chapecó

1 caso em Itapoá

1 caso em Porto Belo

1 caso em Ilhota

1 caso em Navegantes

Dicas para prevenir afogamentos

– Crianças e idosos merecem atenção permanente quando estão se banhando em piscinas, rios, praias ou lagos, pois são mais vulneráveis aos perigos;

– Adultos têm maior estatística de afogamento e os motivos comuns de afogamento são: consumo de bebidas alcoólicas, excesso de confiança, desconhecimento sobre os perigos e falta de prática de natação;

– Não é recomendado nadar após ingerir bebida alcoólica;

– Verifique a profundidade da piscina em que você e sua família frequentam;

– Nas praias, todos os dias, os guarda-vidas verificam as condições do mar e sinalizam os riscos por meio das bandeiras vermelhas. Os principais riscos são as correntes de retorno. Procure nadar nos locais que têm guarda-vidas, afastado das bandeiras vermelhas;

– Se você presenciar um afogamento, acione o socorro e arremesse um objeto flutuante para a vítima. Não tente fazer o resgate sem treinamento, pois você poderá ser mais uma vítima;

– Água no umbigo é sinal de perigo;

– Não ande sobre pedras ou costões que possam trazer riscos;

– Em caso de emergências, ligue 193.

Fonte: Corpo de Bombeiros de Santa Catarina

Notícias Relacionadas

Ex-prefeito de Criciúma é preso após perseguição policial

Márcio Burigo, posteriormente identificado, desobedeceu a ordem legal dos policiais e se evadiu por cerca de dois quilômetros

Filezão: diversos celulares são furtados durante o evento; organizador é notificado por conta da aglomeração

O evento reuniu milhares de pessoas.

Rayssa Leal e Lucas Rabelo são os campeões da etapa de Criciúma do STU National

Maranhense e cearense largam na frente no circuito brasileiro 2022, iniciando o ano como terminaram 2021: com título

Três mulheres ficam feridas em acidente no centro de Cocal do Sul

O acidente aconteceu na rua Edson Gaidzinski