Geral

Serão seis decisões para o Tigre

Time entra na reta final da primeira fase, na Série C, em busca da pontuação para ficar entre os quatro primeiros.

Divulgação

O Criciúma tem seis finais de campeonato, até o início de dezembro, para definir o futuro da equipe nesta temporada. Atualmente em quarto lugar do grupo B, o time precisa, ao menos, manter a posição para seguir às quartas de final da Série C. O meia atacante Jean Dias sabe das dificuldades da equipe, mas garante o foco nas partidas decisivas. “Nós não iniciamos bem. Tivemos dificuldade nos jogos fora de casa, mas a gente sabe que, nos últimos jogos, cada um é uma final e essa postura nós teremos jogo após jogo. Vamos lutar em cada jogo como sendo uma final”, ressalta.

Para Jean, a Série C é uma competição complicada, mas ele acredita que o Criciúma tem condições de buscar a vaga na Segunda Divisão de 2021. “(A Série C) É uma competição difícil. Nós temos um elenco muito bom, mas a competição é muito nivelada. Neste momento, a gente tem que galgar primeiro a classificação. Depois, a gente sabe o peso que tem essa camisa, a força da nossa torcida e o apoio dos que estão por trás. A gente tem certeza que, alcançando o primeiro objetivo, a gente vai em busca do segundo”, enfatiza.

O Tigre tem quatro jogos em casa e dois fora na reta final, porém, Jean sabe que é necessário pontuar longe do Majestoso para seguir adiante na competição. “A gente tem proposto jogar para ganhar fora de casa. Os resultados não têm aparecido e a gente sabe disso. Temos a cobrança muito grande dentro do elenco e individualmente também. A gente não está deixando de lutar fora de casa para buscar os três pontos”, comenta.

Ainda a partida de Sorocaba

Sobre o confronto diante do São Bento, que teve apenas 12 jogadores à disposição, Jean se limitou a dizer que houve apenas uma breve conversa com os atletas do clube paulista sobre a situação. “A gente, durante o jogo, teve um pouco de contato com eles, mas o nosso foco era lutar pelos três pontos. A gente já passou esse momento, aqui mesmo no Criciúma, com a pandemia, mas a gente teve uma breve conversa. Algo bem curto”, resume.

A torcida esperava a vitória diante de um adversário esfacelado, mas ela não veio. Jean lamentou o resultado. “Nossa torcida é muito grande e exigente. A gente sabe que, todas as vezes que entramos em campo, tem que batalhar pelos três pontos. Temos que lembrar também que, do outro lado, tinha 11 jogadores e esse respeito é mútuo. Buscamos os três pontos o tempo todo, infelizmente a bola acabou não entrando e a gente não conseguiu o objetivo”, finaliza.

Com informações do site TNSul

Notícias Relacionadas

Tigre empata em casa e decepciona torcedores

Criciúma ficou no 0 a 0 com o Juventude na estreia do técnico Mazola Júnior. Equipe afunda na zona de rebaixamento e soma apenas um ponto na competição.

Beto Campos, ex-técnico do Criciúma, morre aos 54 anos

Morre Soares, aos 54 anos, campeão da Copa do Brasil pelo Tigre

Núcleo do Projeto Tigrinhos chega aos municípios da Amesc

Convênio foi assinado entre Unesc, o Criciúma e a Prefeitura de Praia Grande.