Segurança

‘Só faltou fazer de escrava’, diz jovem que foi obrigada a se prostituir em SC

Reportagem da NDTV entrevistou as vítimas, que relembraram o terror durante cárcere privado e relataram a tortura psicológica vivida durante o período presas

Divulgação

Uma tortura psicológica. Foi assim que uma das jovens que foi mantida presa e obrigada a se prostituir em Blumenau resumiu tudo o que passou. A jovem de 23 anos, acompanhada de duas adolescentes, de 17 e 15 anos, partiu atrás de uma promessa de dinheiro fácil e se viu sob a mira de um revólver e com a vida em risco.

O caso foi descoberto pela polícia na última terça-feira (24). A jovem e as adolescentes saíram de Palmas, interior do Paraná, acompanhadas de um homem, que prometeu dinheiro fácil em troca de prostituição e venda de fotos pela internet.

Porém, as vítimas foram mantidas em cárcere privado e receberam constantes ameaças caso não realizassem tudo o que era pedido. No local onde as três eram mantidas presas, a polícia encontrou um revólver calibre 38, munições, drogas, dinheiro, uma máquina de cartão de crédito e seis celulares.

Em conversa com a reportagem da NDTV, a jovem de 23 anos relembrou as mais de 70 horas de aflição e medo que viveu na cidade. “Fomos abordadas pela internet. Eles vieram e perguntaram se a gente queria ganhar bastante dinheiro, aí a gente deu a cara a bater. Mas quando chegamos aqui tivemos essa surpresa”, contou a jovem que teve a identidade preservada.

A surpresa relatada pela vítima era o tratamento recebido. Conforme ela, quando chegaram no imóvel localizado no bairro Vila Itoupava, o comportamento do homem mudou e elas passaram a sofrer ameaças e a temer pela vida, caso negassem fazer o que era pedido.

“É uma lição que vou levar pro resto da minha vida. Foi horrível. Ele gritava com a gente, só faltava fazer a mais nova de escrava”, relembra. A mais nova, no caso, era a adolescente de 15 anos, que também decidiu aceitar a proposta feita pela internet.

A garota, que também teve a identidade preservada, justifica a atitude por se deslumbrar com a promessa de dinheiro fácil. “Ele (o suspeito preso) entrou na nossa mente. Eu achei que ia mudar a minha vida, por isso topei”, relembra.

A surpresa relatada pela vítima era o tratamento recebido. Conforme ela, quando chegaram no imóvel localizado no bairro Vila Itoupava, o comportamento do homem mudou e elas passaram a sofrer ameaças e a temer pela vida, caso negassem fazer o que era pedido.

“É uma lição que vou levar pro resto da minha vida. Foi horrível. Ele gritava com a gente, só faltava fazer a mais nova de escrava”, relembra. A mais nova, no caso, era a adolescente de 15 anos, que também decidiu aceitar a proposta feita pela internet.

A garota, que também teve a identidade preservada, justifica a atitude por se deslumbrar com a promessa de dinheiro fácil. “Ele (o suspeito preso) entrou na nossa mente. Eu achei que ia mudar a minha vida, por isso topei”, relembra.

Ameaças e dívidas

As vítimas até contaram que chegaram a pedir para voltar para o Paraná, logo que perceberam que a situação era diferente do que havia sido prometido, mas foram informadas ter uma dívida a pagar.

“Ficamos assustadas e pedimos para voltar e ele disse que a gente tinha uma dívida. Era em torno de R$ 1500 em um dia. Agora, no final, estávamos devendo R$ 4500”, relata a adolescente de 17 anos, que também teve a identidade preservada.

Esquema contava até com motoboy particular

A garota detalhou para a reportagem tudo o que as três precisaram fazer enquanto ficaram na casa. “A gente era obrigada a fazer programa. Não tinha você não querer fazer. (Tinha que ) tirar foto pelada, mandar foto para os caras”, explicou a adolescente que revelou um esquema que contava até com motoboy para levá-las aos clientes.

“Tinha um motoboy lá, caso o cliente quisesse que fosse em um motel. Lá na casa tinha um quarto que já era cedido. Se o cliente quisesse fazer lá, ele liberava o quarto. Se quisesse ir pro motel, tinha que pagar R$ 50 a mais pro motoboy levar e buscar a gente”, relembrou.

Mensagem para família e resgate

Após dias sendo obrigada a fazer tudo o que era pedido pelas pessoas que mantinham o local, uma das jovens conseguiu mandar uma mensagem para o celular da mãe, que descobriu o que estava acontecendo e partiu para Blumenau, para tentar resgatar a filha.

Junto dela veio o marido. Os dois contataram a polícia primeiro em Jaraguá do Sul e depois em Blumenau, onde a PM atuou no resgate das vítimas e na prisão dos envolvidos.

Os policiais chegaram no endereço e encontraram as meninas muito assustadas e chorando. Os autores do crime eram dois homens, um de 24 e outro 38 anos.

Os suspeitos poderão responder pelos crimes de cárcere privado, porte ilegal de arma de fogo, tráfico de drogas, favorecimento da prostituição e exploração de adolescentes.

Com informações do ND+

Notícias Relacionadas

Governo de SC autorizou investimento de R$ 722 milhões em Educação

O governador Carlos Moisés participou do ato de inauguração e valorizou o movimento que é considerado como o mais municipalista da história catarinense

Autor de roubo contra motorista de aplicativo em Criciúma é preso

Investigado pelo crime tem 23 anos

Suspeito de estuprar adolescente a caminho da escola é preso após vítima gritar por socorro em SC

Polícia Civil investiga o caso, que ocorreu em uma passarela de Joinville. Vítima tem 15 anos.

Frente fria muda paisagem em SC nesta terça-feira e traz risco de temporais e queda de granizo

Mudança no tempo começa na tarde desta terça-feira (28) e se estende até sexta-feira (1º); alteração começa nas regiões próximas à fronteira com o Rio Grande do Sul