Geral

Suecos estudam importar madeira através do Porto de Imbituba

Se o acordo for fechado, o porto passará a enviar um navio de madeira a cada 45 dias para o país europeu.

 

Foto: Rodrigo Speck

Uma comitiva de investidores da Suécia esteve no Porto de Imbituba esta semana para conhecer o complexo portuário. O objetivo do grupo é iniciar a importação de madeira a partir de Imbituba. Se o acordo for fechado, o porto passará a enviar um navio de madeira a cada 45 dias para o país europeu.

Foto: Rodrigo Speck

Representantes da Autoridade Portuária e da empresa Serra Morena guiaram a visita. O Diretor Administrativo, Comercial e Financeiro da SCPAR Porto de Imbituba, Paulo César Dagostin, ressaltou durante o encontro que a operação de madeira vem se destacando no Porto de Imbituba desde 2018, quando o primeiro navio carregado com toras de pinus e eucalipto embarcou para a China. Ao todo, o Porto de Imbituba já exportou, aproximadamente, 67 mil toneladas do produto.

“A capacidade de operar todos os tipos de carga sem interrupções, a qualidade do acesso marítimo e a ampla área de armazenagem são alguns dos diferenciais que buscamos transmitir aos empresários. O Porto de Imbituba está preparado para alavancar a operação de cargas, e é com esse objetivo que temos atuado junto aos potenciais clientes”, afirmou Paulo César Dagostin.

Colaboração: Rodrigo Speck – Comunicação

Notícias Relacionadas

Com aperfeiçoamento constante, Associação de Apicultores de Orleans é destaque em Santa Catarina

Correntista de Imbituba receberá com juros e correção valor retirado da conta sem sua autorização

Sem seu conhecimento e autorização, em janeiro de 2015, R$ 19 mil foram transferidos de seu domínio para a conta de outra pessoa.

Defesa Civil mantem alerta para riscos de alagamentos e deslizamentos

Residências de Imbituba registraram problemas. A principal recomendação de precaução é para que as pessoas evitem contato com a água em locais inundados.

Bombeiros comemoram três anos sem mortes por afogamento durante Operação Veraneio

Em contrapartida, casos de queimaduras com águas-vivas passaram dos 15 mil nas praias de Garopaba, Imbituba, Jaguaruna e Laguna durante toda a Operação Veraneio.