Geral

Supremo decide criminalizar a homofobia como forma de racismo

A maioria também afirmou que a Corte não está legislando, mas apenas determinando o cumprimento da Constituição.

Divulgação

Após seis sessões de julgamento, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (13) criminalizar a homofobia como forma de racismo. Ao finalizar o julgamento da questão, a Corte declarou a omissão do Congresso em aprovar a matéria e determinou que casos de agressões contra o público LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e travestis) sejam enquadrados como o crime de racismo até que uma norma específica seja aprovada pelo Congresso Nacional.

Por 8 votos a 3, os ministros entenderam que o Congresso não pode deixar de tomar as medidas legislativas que foram determinadas pela Constituição para combater atos de discriminação. A maioria também afirmou que a Corte não está legislando, mas apenas determinando o cumprimento da Constituição.

Pela tese definida no julgamento, a homofobia também poderá ser utilizada como qualificadora de motivo torpe no caso de homicídios dolosos ocorridos contra homossexuais.

Religiosos e fiéis não poderão ser punidos por racismo ao externarem suas convicções doutrinárias sobre orientação sexual desde que suas manifestações não configurem discurso discriminatório.

Com informações do site Agência Brasil 

Notícias Relacionadas

Brasil é o país que mais pesquisa a palavra homofobia na internet

O ranking é formado a partir da consulta que usuários fazem de uma determinada palavra.

Supremo suspende voto impresso nas eleições de outubro

Apesar de ser chamado de voto impresso, o mecanismo serve somente para auditoria das urnas eletrônicas, e o eleitor não fica com o comprovante da votação.

Contestada no Supremo, Lei de Abuso de Autoridade entra em vigor

A Lei de Abuso de Autoridade torna crime, a partir de agora, uma série de condutas por parte de policiais, juízes e promotores.

Criciúma lança campanha ‘Racismo é crime. Denuncie!’

Abertura da campanha será marcada por uma palestra, a fim de encorajar vítimas de crimes raciais a denunciarem a agressão sofrida